Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Grandes Comparativos: Fittipaldi e Chapman testam 6 carros nacionais

Logotipo do(a) Quatro Rodas Quatro Rodas 16/05/2018 Da Redação
Grandes Comparativos: Corcel GT x Charger RT x LTD Landau x Puma 1800 x Opala SS x Volks TL: Emerson Fittipaldi e Colin Chapman: os campeões testaram seis carros brasileiros: Puma, Opala S, VW TL, Charger RT, Corcel GT e o Landau © Quatro Rodas Emerson Fittipaldi e Colin Chapman: os campeões testaram seis carros brasileiros: Puma, Opala S, VW TL, Charger RT, Corcel GT e o Landau

A cena se tornaria clássica na Fórmula 1: sempre que Emerson Fittipaldi recebia a bandeirada final em primeiro lugar, Colin Chapman, o chefão da Lotus, à beira da pista, jogava o boné para o alto em um gesto de comemoração.

Das 14 vitórias conquistadas na categoria, Emerson festejou nove com o dono da Lotus (as outras foram na McLaren).

Poucas duplas de piloto e dirigente da F-1 personificaram tão bem a sintonia existente entre Emerson e Chapman, que morreu em 1982.

Apesar desse entrosamento que conduziu o brasileiro ao título de 1972, nem sempre eles concordavam em tudo.

QUATRO RODAS comprovou isso em março de 1971, quando os convidou para avaliar seis carros nacionais no autódromo de Interlagos: Ford Corcel GT, Dodge Charger R/T, Ford LTD Landau, Puma 1800, Chevrolet Opala SS e Volks TL.

Grandes Comparativos: Corcel GT x Charger RT x LTD Landau x Puma 1800 x Opala SS x Volks TL: Dentro e fora dos carros, os dois comentaram todos os detalhes © Quatro Rodas Dentro e fora dos carros, os dois comentaram todos os detalhes

Ford Corcel GT

Ao assumir o volante do Corcel GT, o todo-poderoso da Lotus fez elogios: “Linhas razoáveis e boa distribuição de espaço interno”.

Bastou passar um pouco mais de tempo lá dentro para desaprovar o acabamento, culpando os frisos internos da porta pelo barulho. E foi além: “O motor fica muito na frente, prejudicando o comportamento do Corcel nas curvas”.

Na reta da pista, chegou a 132 km/h, velocidade que caiu para 70 km/h na subida do boxe.

“Falta potência, acho que não vamos chegar nunca”, brincou.

Emerson foi mais generoso. Tirando o motor de 80 cv pouco potente para os 940 kg do carro e os instrumentos do painel de difícil leitura, gostou do conjunto. Elogiou os freios, a estabilidade e a posição de dirigir.

A exemplo do que aconteceria com os demais automóveis, Fittipaldi superou Chapman na velocidade máxima: 142 km/h.

E fez as curvas sempre no limite, corrigindo facilmente a tendência do Corcel de sair de frente.

Ficha técnica

  • Motor: dianteiro, longitudinal, 4 cilindros em linha, 1 289 cm³, 77 x 77 mm, carburador de corpo duplo, 80 cv a 5.200 rpm, 10 mkgf a 3.200
  • Câmbio: manual de 4 marchas, tração dianteira
  • Dimensões: comprimento, 441 cm; largura, 164 cm; altura, 142 cm; entre-eixos, 244 cm; peso, 940 kg
  • Preço (março de 1971): Cr$ 21.659
  • Preço (atualizado IGP-DI/FGV): R$ 108.784

Dodge Charger R/T

O Charger R/T foi o carro que mais teve pontos em comum no julgamento do futuro campeão e de seu chefe.

O estilo agradou Chapman, que apontou como virtudes o teto rebaixado na traseira e os faróis embutidos.

A crítica veio no fim do retão, a 160 km/h, quando acionou os freios: eram insuficientes para a potência e o bom desempenho do carro.

Por fim, disse que os pedais estavam muito próximos e numa posição elevada: “Em um esportivo, os comandos precisam ser adequados para responder depressa aos movimentos rápidos do motorista”, explicou.

Grandes Comparativos: Corcel GT x Charger RT x LTD Landau x Puma 1800 x Opala SS x Volks TL: E ambos divergiram sobre o Charger R/T © Quatro Rodas E ambos divergiram sobre o Charger R/T

Ao contrário de Chapman, Fittipaldi só usou os freios 100 metros antes da curva, no fim da maior reta de Interlagos.

No miolo do antigo traçado do autódromo paulista, exigiu ainda mais do R/T. Gostou do que viu – e sentiu.

Nas curvas, não ameaçou sair de frente ou de traseira. No entanto, também fez restrições aos pedais, muito altos e perto uns dos outros, o que dificultava as manobras mais rápidas.

Ficha técnica

  • Motor: dianteiro, longitudinal, 8 cilindros em V, 5.212 cm³, 99,3 x 84,1 mm, carburador, 216 cv a 4.400 rpm, 42,9 mkgf a 2.400 rpm
  • Câmbio: manual de 4 marchas, tração traseira
  • Dimensões: comprimento, 496 cm; largura, 181 cm; altura, 139 cm; entre-eixos, 282 cm; peso, 1.594 kg
  • Preço (março de 1971): Cr$ 41.602
  • Preço (atualizado IGP-DI/FGV): R$ 208.949

Ford LTD Landau

Quando notou que o ponteiro do velocímetro do Landau não passaria dos 140 km/h, Chapman não disfarçou a frustração. Esperava melhor desempenho do motor de um carro hidramático e de luxo.

Também não gostou da posição de dirigir e da estabilidade, porque a cada curva o LTD se inclinava demais.

Uma coisa ele não negou: tratava-se de um automóvel excepcionalmente silencioso e confortável. “Além disso, tem o melhor acabamento de todos”, sentenciou.

Emerson repetiu no Landau o comportamento usado nos outros carros: dirigiu sempre em alta velocidade.

Em uma curva, o carro se inclinou tanto que uma das rodas tocou numa saliência, fazendo a calota decolar.

Alcançou 150 km/h e não se contentou: “O motor poderia ser mais potente”, disse.

Aliás, o motor esquentou muito durante as avaliações de Emerson e Chapman, que não acharam isso grave: “O carro não foi feito para correr”, justificaram.

Ficha técnica

  • Motor: dianteiro, longitudinal,  8 cilindros em V, 4.950 cm³, 101,6 x 76,2 mm, carburador de corpo duplo, 199 cv a 4.000 rpm, 30,6 mkgf a 2.800 rpm
  • Câmbio:  automático de 3 marchas, tração traseira
  • Dimensões: comprimento, 541 cm; largura, 200 cm; altura, 141 cm; entre-eixos, 302 cm; peso, 1.834 kg
  • Preço (março de 1971): Cr$ 52.801
  • Preço (atualizado IGP-DI/FGV): R$ 265.197

Puma 1800

Chapman viu o Puma e adorou. Quando foi informado, em seguida, que o motor tinha 1.800 cm³, entusiasmou-se ainda mais.

Ao acelerar, porém, reclamou do elevado nível de ruído: “Deve ser porque o motor fica bem atrás da gente”.

Também não se sentiu confortável para dirigir. “O curso dos pedais é muito longo e o volante fica alto demais”, disse.

Embora tenha elogiado a estabilidade e a eficiência dos freios, decepcionou-se um pouco com o desempenho. “Ele merecia mais”.

O pupilo aprovou o “toque agressivo” das rodas de magnésio aro 14.

Como Chapman, Emerson incomodou-se com o volante muito alto e enalteceu a estabilidade: “O Puma é firme como uma rocha”.

Grandes Comparativos: Corcel GT x Charger RT x LTD Landau x Puma 1800 x Opala SS x Volks TL: Piloto e dirigente gostaram do Puma © Quatro Rodas Piloto e dirigente gostaram do Puma

O esportivo chegou a 190 km/h, mas os freios não convenceram o piloto, porque não eram progressivos como deveriam.

Ficha técnica

  • Motor: traseiro, 4 cilindros contrapostos, carburador
  • Câmbio: manual de 4 marchas, tração dianteira
  • Dimensões: comprimento, 395 cm; largura, 159 cm; altura, 114 cm; entre-eixos, 215 cm; peso, 700 kg
  • Preço (março de 1971): Cr$ 28.659
  • Preço (atualizado IGP-DI/FGV): R$ 143.942

Chevrolet Opala SS

O Opala SS foi o responsável por um susto em Chapman. Com facilidade, atingiu 170 km/h no fim da reta.

Pisou no freio antes da curva, mas o sistema não respondeu.

Os freios falharam e só começaram a funcionar novamente depois das várias tentativas. “Pode ter sido algum problema de ajuste na montagem dos freios”, afirmou.

Apesar disso, Chapman gostou e disse que, se fosse comprar um carro no Brasil, escolheria o Opala 4100.

“Ele acelera bem, é macio, veloz e estável”.

O desempenho esportivo do Opala chamou a atenção de Fittipaldi, que o levou a 180 km/h.

Ao ser tão exigido, o SS revelou alto nível de ruído. “Ele também poderia ser mais baixo e ter rodas mais largas”, disse. Emerson achou as linhas antiquadas.

E fez uma observação curiosa: “Um carro com esse desempenho deveria ter duas e não quatro portas.

As faixas pretas pintadas nas laterais e no cofre do motor dão um jeito agressivo que não combinam com as quatro portas”.

Ficha técnica

  • Motor: dianteiro, longitudinal, 6 cilindros em linha, 4.093 cm³, 98,4 x 89,8 mm, carburador de corpo simples, 140 cv a 4.000 rpm, 36 mkgf a 2.400 rpm
  • Câmbio: manual de 4 marchas, tração traseira
  • Dimensões: comprimento,  457 cm; largura, 176 cm; altura, 138 cm; entre-eixos, 267 cm; peso, 1.172 kg
  • Preço (março de 1971): Cr$ 29.911
  • Preço (atualizado IGP-DI/FGV): R$ 150.230

Volkswagen TL

Antes de entrar no Volks TL, Chapman achou o carro alto e desajeitado. Por isso, se impressionou com a estabilidade e os freios.

Grandes Comparativos: Corcel GT x Charger RT x LTD Landau x Puma 1800 x Opala SS x Volks TL: Emerson e Chapman exigiram muito dos carros nacionais © Quatro Rodas Emerson e Chapman exigiram muito dos carros nacionais

Já o acabamento não mereceu os mesmos elogios: “Deveria ser melhor, pois não está de acordo com o padrão internacional da Volkswagen, muito cuidadosa nesse aspecto”.

Apesar de criticar o estilo e o desempenho do TL, Emerson elogiou a direção e a confortável posição de dirigir.

Também achou que o motor ficou devendo: “Com dois carburadores, o carro deveria arrancar melhor e correr muito mais”.

Correr… Como se viu no ano seguinte, quando ganhou seu primeiro título mundial, Emerson só pensava nisso.

Ficha técnica

  • Motor: traseiro, longitudinal, 4 cilindros opostos, 1.584 cm³, 85,5 x 69 mm, carburador, 65 cv a 4 600 rpm, 12 mkgf a 3.000 rpm
  • Câmbio: manual de 4 marchas, tração traseira
  • Dimensões: comprimento,  422 cm; largura, 157 cm; altura, 142 cm; entre-eixos, 245 cm; peso, 865 kg
  • Preço (março de 1971): Cr$ 18.342
  • Preço (atualizado IGP-DI/FGV): R$ 92.124

Nós dissemos em março de 1971…

Grandes Comparativos: Corcel GT x Charger RT x LTD Landau x Puma 1800 x Opala SS x Volks TL: Capa do teste em março de 1971 © Quatro Rodas Capa do teste em março de 1971

Para Emerson, o melhor carro foi o Dodge Charger RT, que ele elogiou pelas linhas modernas, pelo conforto e bom desempenho.

Também gostou muito do Puma, principalmente pela beleza e estabilidade. (…) Só não gostou dos pedais por achar que são muito longos.

Colin Chapman gostou do Opala SS de 4.100 cm³ e disse que, se tivesse de comprar um carro no Brasil, escolheria esse, por seu estilo simpático e bom desempenho.

O segundo que ele mais gostou foi o Galaxie LTD Landau, porém achou que ele poderia ter desempenho melhor. Mas elogiou seu luxo e desempenho.”


Siga o MSN no Facebook

Mais de Quatro Rodas

image beaconimage beaconimage beacon