Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Tecnologias que vão impactar o trânsito nas grandes cidades

Logotipo do(a) Garagem 360 Garagem 360 11/08/2017 Da Redação, com assessoria

Em uma cidade grande como São Paulo, por exemplo, perde-se em média, 2h58 minutos no trânsito por dia. A pesquisa, feita pelo Ibope Inteligência entre agosto e setembro do ano passado, mostrou que 52% dos entrevistados gastam pelo menos 2 horas por dia em seus deslocamentos na maior cidade do país. Esse tempo parado provoca impacto na qualidade de vida das pessoas, no nível de poluição e na dinâmica da economia. Em muitas cidades, a demanda por soluções de mobilidade urbana é urgente, e já existem algumas tecnologias inovadoras que prometem tornar mais inteligente a gestão desse trânsito.

A novidades tecnológicas podem ser as principais aliadas dos governantes. Paulo Santos, gerente de soluções para o setor Enterprise da fabricante sueca Axis Communications, lista as principais apostas para a melhoria do trânsito nos próximos anos.

LEIA MAIS:

Tecnologias que ajudam a deixar os carros mais eficientes

5 aplicativos e tecnologias que facilitam a vida do motorista

Tecnologias que vão impactar o trânsito nas grandes cidades - Foto: Horia Varlan via Visual hunt / CC BY © Foto: Horia Varlan via Visual hunt / CC BY Tecnologias que vão impactar o trânsito nas grandes cidades - Foto: Horia Varlan via Visual hunt / CC BY

1- Leitura de placas

A leitura ou reconhecimento de placas é uma ferramenta capaz de identificar veículos que não atendam a uma exigência, como carros não-inspecionados que podem quebrar com mais frequência ou poluir o ambiente em níveis fora do padrão. Também é possível criar um cinturão em áreas específicas, como o centro de uma cidade, para que somente os carros de moradores possam circular ali em determinados dias.

2- Controle de Semáforos

Em um cruzamento, os semáforos podem operar para que o trânsito flua de maneira mais inteligente. Câmeras de videomonitoramento podem, além de registrar a via para fins de segurança, estar conectadas aos semáforos e atuar como sensores que detectam a presença de veículos e controlam o semáforo de acordo com o volume de veículos. Se não há mais carros passando, o sinal fecha nessa via e abre na outra, onde já se acumulam alguns veículos.

3- Estudos de Tráfego

Qual o fluxo de veículos numa determinada avenida? Passam ali muitos ônibus e caminhões? Haveria melhora se o sentido fosse invertido? Qual o melhor horário para realizar obras numa rua específica? Essas e outras questões dependem do conhecimento sobre o fluxo na região, e esse conhecimento pode ser embasado em dados concretos. As ruas mais estratégicas podem contar com estatísticas detalhadas do número de veículos a cada minuto para ações de curto prazo ou para um planejamento mais estratégico.

4- Faixas exclusivas

Em algumas avenidas, faz sentido criar faixas dedicadas exclusivamente a ônibus e táxis, ou deixar os caminhões circularem somente nas faixas da direita, ou ainda criar faixas para motos e bicicletas. Toda essa organização pode ser verificada pelas câmeras, em horários determinados pelos gestores de trânsito. A regra, por exemplo, pode ser válida apenas para determinados horários.

5- Monitoramento remoto

Muitas prefeituras que já possuem câmeras IP de alta resolução para apoiar a segurança e estão usando os mesmos equipamentos para verificar o cumprimento de regras de trânsito, como o uso de cinto de segurança ou o uso de vagas para idosos, mesmo sem um agente de trânsito por perto. Caso um veículo estacione em local proibido, como numa rua movimentada atrapalhando o trânsito, o agente na central de controle pode dar zoom, verificar a placa e emitir uma multa. Além disso, as câmeras podem detectar automaticamente a ocorrência de um acidente e dar um alerta imediato aos gestores. Isso reduz o tempo de interrupção da via.

Mais de Garagem 360

image beaconimage beaconimage beacon