Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Pantera Negra: Marvel muda nome de vilão para evitar problemas com racismo

Logotipo do(a) Adorocinema Adorocinema 15/07/2017 Renato Furtado
AdoroCinema © AdoroCinema AdoroCinema

Introduzido nos quadrinhos em Avengers #62 (Março de 1969), M'Baku é o líder da tribo das montanhas de Wakanda e um dos personagens mais importantes da saga do Pantera Negra. Por não concordar muito com o reinado de T'Challa, assume a posição de antagonista do Rei. Mas, em Pantera Negra, o filme, Ryan Coogler e sua equipe decidiram mexer em dois pontos cruciais do vilão: sua personalidade e, principalmente, seu nome.

Além de aprofundar M'Baku (Winston Duke) psicologicamente, tornando-o muito mais do que um simples vilão unidimensional, os cineastas chegaram à conclusão de que utilizar a alcunha de "Homem-Gorila" - como o personagem é conhecido nas HQs - seria um grande equívoco. Nate Moore, produtor executivo, explicou a situação em entrevista à Entertainment Weekly: "Nós não o chamamos de Homem-Gorila. Nós o chamamos de M'Baku. Ter um personagem negro vestido como um macaco traria inúmeras implicações raciais que seriam prejudiciais".

A evidente problemática foi contornada facilmente pelos produtores, que ainda conseguiram encontrar uma forma de manter a essência de M'Baku. "O Homem-Gorila é um personagem problemático por diversas razões, mas a ideia por trás do personagem é realmente fascinante. Estamos trilhando uma linha tênue, mas acho que teremos sucesso", afirmou Moore.

Por isso, o vilão interpretado por Duke continua usando uma armadura similar à dos quadrinhos no longa, mas a máscara do gorila foi deixada para trás. Dessa forma, M'Baku foi distanciado de sua construção racista, mas a importância do animal em si para o antagonista foi mantida. Vale lembrar que o gorila é o símbolo da tribo do personagem, assim como a pantera é a criatura simbólica do clã de T'Challa (Chadwick Boseman).

Segundo Moore, M'Baku será importante na trama do filme de Coogler por possuir uma ideologia diferente da do Rei, o que colocará os dois em estado de conflito político permanente. Coestrelado por Michael B. Jordan, Lupita Nyong'o, Danai Gurira e Daniel Kaluuya, Pantera Negra chega aos cinemas brasileiros no dia 15 de fevereiro.

Mais de Adorocinema

image beaconimage beaconimage beacon