Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Colapso das criptomoedas supera níveis da bolha pontocom

Logotipo do(a) Exame.com Exame.com 12/09/2018 Michael Patterson, da Bloomberg
Bolhas: Criptomoeda: o tombo já superou o declínio de 78 por cento do Nasdaq Composite Index © Thinkstock Criptomoeda: o tombo já superou o declínio de 78 por cento do Nasdaq Composite Index

(Bloomberg) — O Grande Colapso das Criptomoedas de 2018 parece cada vez mais digno do livro dos recordes. Com as novas quedas atingidas pelas moedas virtuais nesta quarta-feira, o MVIS CryptoCompare Digital Assets 10 Index ampliou o colapso em relação à alta de janeiro para 80 por cento. O tombo já superou o declínio de 78 por cento do Nasdaq Composite Index em relação ao pico após o estouro da bolha das pontocom, em 2000.

Como seus antecessores durante o boom das ações da internet, há quase duas décadas, os investidores em criptomoedas que apostaram alto em uma tecnologia aparentemente revolucionária estão sofrendo um doloroso choque de realidade.

A mania das moedas virtuais de 2017 — alimentada pela esperança de que o bitcoin se transformaria em “ouro digital” e que os tokens respaldados pelo blockchain transformariam setores como finanças e alimentos — rapidamente deu lugar a preocupações a respeito do excesso de repercussão, falhas de segurança, manipulação de mercado, regulação mais rigorosa e adoção mais lenta do que a antecipada em Wall Street.

Os otimistas em relação às criptomoedas rejeitam comparações negativas com a era das pontocom ressaltando a recuperação do Nasdaq Composite, que atingiu novas altas 15 anos depois, e o enorme impacto da internet na sociedade. Eles observam também que o bitcoin se recuperou de colapsos anteriores de magnitude similar.

Mas mesmo que os otimistas estejam certos e que as criptomoedas acabem transformando o mundo, a forte queda deste ano ressalta que o progresso provavelmente não será suave.

As perdas desta quarta-feira foram lideradas pelo ether, a segunda maior moeda virtual. Ele caía 5,2 por cento, para US$ 172,21, às 6h21 em Nova York, ampliando o recuo deste mês a 39 por cento. O bitcoin mostrava pouca alteração, enquanto o índice MVIS CryptoCompare Digital Assets recuava 2,9 por cento. O valor de todas as moedas virtuais monitoradas pelo CoinMarketCap.com mergulhou para US$ 187 bilhões, menor valor em 10 meses.

Um ponto positivo da queda das criptomoedas é que as ramificações para a economia global provavelmente serão mínimas. Apesar de o mercado ter perdido mais de US$ 640 bilhões em valor desde que atingiu o pico, em janeiro, o valor é muito menor que os trilhões eliminados com as ações do Nasdaq Composite durante o estouro da bolha pontocom.

As conexões da indústria das criptomoedas com o sistema financeiro tradicional também continuam fracas. Isso tem decepcionado os otimistas, mas é uma boa notícia para todos os demais em meio à queda dos ativos digitais.

Mais de Exame.com

image beaconimage beaconimage beacon