Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Latam inicia processo de demissão de pelo menos 2.700 funcionários

Logotipo do(a) Poder360 Poder360 6 dias atrás Poder360
Latam informou que 'abrirá o processo de pedido de demissão voluntária que deverá ocorrer até 4 de agosto, após essa data será iniciado os desligamentos de no mínimo 2.700 tripulantes' © Jorge Araujo/Fotos Publicas Latam informou que 'abrirá o processo de pedido de demissão voluntária que deverá ocorrer até 4 de agosto, após essa data será iniciado os desligamentos de no mínimo 2.700 tripulantes'

A Latam Brasil anunciou nesta 6ª feira (31.jul.2020) que vai iniciar processo de demissão de pelo menos 2.700 pilotos, copilotos e comissários. A decisão veio depois de mais 1 fracasso nas negociações com o SNA (Sindicato Nacional dos Aeroviários), que representa a categoria.

Os tripulantes da Latam votaram por não autorizar que o SNA negocie com a empresa mudanças definitivas no modelo de remuneração. O acordo proposto pela Latam envolvia redução permanente de salário como forma de manutenção dos postos de trabalho. De acordo com o sindicato, os votos contra foram de 79% entre os comissários, 71% entre copilotos e 74% entre comandantes.

Com isso, a Latam informou que “abrirá o processo de pedido de demissão voluntária que deverá ocorrer até 4 de agosto, após essa data será iniciado os desligamentos de no mínimo 2.700 tripulantes”.

A pandemia de covid-19 representa a maior crise de saúde pública da história e está afetando drasticamente toda a indústria mundial da aviação. A Latam é a maior e mais antiga das 3 empresas que atuam no Brasil e remunera mais os tripulantes tanto em voos domésticos quanto em internacionais, por isso, a empresa tem a necessidade de equiparar-se às práticas do setor“, disse a empresa, em nota.

A redução permanente de salário já tinha sido pauta de votação no SNA no início da semana. Na 2ª feira (27.jul), os membros do sindicato rejeitaram a proposta de acordo coletivo. Com a decisão de agora, o SNA disse que solicitou audiência com TST (Tribunal Superior do Trabalho) para tentar reverter a decisão da Latam.

Ressaltamos que o SNA já firmou mais de 60 acordos coletivos com empresas de aéreas de todos os segmentos, incluindo Gol e Azul, para enfrentamento da crise“, explicou o sindicado, em comunicado. A Latam, por sua vez, disse que “a empresa sempre esteve aberta ao diálogo com o objetivo de preservar o máximo de empregos possíveis e manter sua sustentabilidade no longo prazo“.

A Latam teve prejuízo líquido de US$ 2,12 bilhões, o equivalente a R$ 11,32 bilhões, no 1º trimestre de 2020. A empresa entrou com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos devido à crise provocada pela pandemia de covid-19. Além dos Estados Unidos, a operação de recuperação envolve afiliadas em mais 4 países (Chile, Peru, Colômbia e Equador).

Os Estados Unidos aprovaram em março 1 pacote de ajuda no valor de US$ 2,2 trilhões (equivalente a R$ 11,49 trilhões). Desse valor, US$ 25 bilhões (R$ 130 bilhões) foram para companhias aéreas. Em contrapartida, as empresas se comprometeram a manter os postos de trabalho até 30 de setembro.

Com o fim do prazo se aproximando, os principais sindicatos da aviação, que representam pilotos, comissários de bordo e mecânicos, pedem que o auxílio seja renovado por mais 6 meses. Em carta enviada ao congresso norte-americano, analisam que seriam necessários mais US$ 32 bilhões (R$ 167,12 bilhões) para manter as operações e funcionários de companhias aéreas de passageiros, transportadoras de carga e empresas de aviação.

No Brasil, o BNDES negocia com Azul, Gol e Latam empréstimo da ordem de R$ 6 bilhões, que será feito em parceria com bancos privados e mercado de capitais por meio da emissão de debêntures e bônus. O empréstimo seria feito com custo de CDI mais 4%.

Enquanto isso, as companhias estão negociando diretamente com os sindicatos e funcionários. Gol e Azul conseguiram aprovar acordos, mediados pelo SNA, com redução temporária de jornada e salário. Em troca, as aéreas prometeram manter os postos de trabalho.

No acordo firmado pela Gol, até setembro de 2021, 412 pilotos e 750 comissários estarão trabalhando em meio período. A partir de outubro de 2021, esses números irão cair para 330 pilotos e 600 comissários. Também foi estabelecido que esses funcionários podem pedir demissão no período. A Gol vai abrir outros 2 programas voluntários: de licença não remunerada e aposentadoria. A Azul negociou redução de 45% do salário até o 1º trimestre de 2021. A partir daí, começa a diminuir o porcentual.


Veja mais no MSN Brasil

Comissão mista volta a discutir reforma tributária no Congresso

A SEGUIR
A SEGUIR


(RedeTV)

Mais de Poder360

image beaconimage beaconimage beacon