Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Prisão de Wesley eleva incertezas na JBS

Logotipo do(a) Estadão Estadão 13/09/2017

Wesley Batista, preso na manhã desta quarta-feira em uma operação da Polícia Federal, está no comando do grupo JBS, o maior produtor de carne do mundo, desde 2011. Antes disso, o empresário, que tem hoje 44 anos, passou uma temporada nos Estados Unidos, onde o grupo havia feito uma série de aquisições bilionárias, como as empresas Swift e Pilgrim’s Pride. Wesley foi o responsável pela integração dessas operações ao grupo brasileiro.

Leia mais: Saiba quem é Wesley Batista, um dos donos da JBS

Segundo dos filhos de José Batista Sobrinho, o fundador do açougue que daria início ao conglomerado, Wesley sucedeu os irmãos Joesley, o caçula do clã, que após sair do comando da JBS tornou-se o presidente da holding do grupo, a J&F, e o primogênito José Batista Júnior, conhecido como Júnior Friboi, que deixou as operações da JBS.


+ Controladores da JBS fizeram venda milionária de ações antes de delação

Wesley apareceu na lista da revista Forbes no ano passado entre as pessoas mais ricas do País - ocupava a posição 66 entre os bilionários brasileiros.

Delator, ao lado do irmão Joesley, Wesley não é alvo da nova investigação pedida por Rodrigo Janot e não tinha sua colaboração ameaçada. Mas, antes da prisão decretada nesta quarta-feira, pessoas próximas aos assessores da JBS já avaliavam que o pior cenário seria a saída forçada de Wesley do comando sem uma transição, o que causaria estrago em um setor marcado pela quebradeira de empresas.

Efeitos da delação da JBS: A JBS já sente os efeitos da crise que se abateu sobre a empresa depois do anúncio da delação premiada dos irmãoes Joesley e Wesley Batista no âmbito da Lava Jato. Nesta segunda-feira, dia 22, as ações da JBS despencaram 31,3%, o valor de mercado recuou em R$ 7,5 bilhões e a agência de risco Moody's reduziu o rating da empresa.Veja a trajetória da JBS.

A JBS já sente os efeitos da crise que se abateu sobre a empresa depois do anúncio da delação premiada dos irmãoes Joesley e Wesley Batista no âmbito da Lava Jato. Nesta segunda-feira, dia 22, as ações da JBS despencaram 31,3%, o valor de mercado recuou em R$ 7,5 bilhões e a agência de risco Moody's reduziu o rating da empresa.Veja a trajetória da JBS.
© JF Diorio/Estadão

+ Entenda os porquês da JBS vender a Moy Park para a própria JBS

Wesley, além de dominar as questões operacionais da JBS, é quem tem concentrado as negociações de alongamento das dívidas com bancos - o contrato de refinanciamento foi assinado, mas a JBS ainda tem de concluir constituição de garantias - e as vendas de ativos, que estão encaminhadas

+ O irmão de Joesley e Wesley que resistiu à tormenta

O empresário tem a missão de liderar o fechamento da venda de negócios, necessária para garantir a sobrevivência da holding e da JBS, enquanto tenta manter-se no cargo. Sócio dos Batista na JBS, o BNDES quer sacá-lo do posto. E agora ganhou uma ajuda da Polícia Federal para fortalecer seus argumentos.

Vídeo: CPI da JBS pode ser tentativa de abafar a Lava Jato (Via SBT)

A SEGUIR
A SEGUIR

Leia também no MSN Brasil:
PF prende Wesley Batista, irmão de Joesley
O que Moro ainda vai decidir sobre Lula? Entenda
Casal e filho morrem ao cair em cratera de vulcão

Fique por dentro de tudo o que acontece com o App MSN Notícias
Faça o download para Windows, Windows Phone, Android e iOS.

Mais de Estadão

image beaconimage beaconimage beacon