Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Como não cair em golpes ao consultar seu FGTS inativo

Logotipo do(a) Exame.com Exame.com 14/02/2017 Júlia Lewgoy
Lupa © image/jpeg Lupa

Nesta terça-feira (14), o governo federal divulgou o tão esperado calendário de saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Com tantos trabalhadores ansiosos para receber o dinheiro, é preciso cuidado para não cair em golpes ao consultar quanto você pode sacar.

Desconfie de qualquer ligação, mensagem ou e-mail em nome do banco que ofereça para você consultar seu saldo, se você tiver que informar dados bancários e informações pessoais, como alerta a economista do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Ione Amorim.

“Estelionatários falam em nome da Caixa e pedem para você fornecer seus dados em troca do saldo, mas não caia nessa. A Caixa não vai correr atrás de você”, esclarece Ione.

A única forma realmente segura de consultar quanto você pode sacar de contas inativas do FGTS é por meio dos canais oficiais: pelo aplicativo FGTS (disponível para Android, iPhone e Windows); pelo site da Caixa; em qualquer agência física do banco público; ou pelo internet banking, se você é cliente da Caixa.

No site Reclame Aqui, alguns trabalhadores registraram que tiveram dificuldades para acessar o site da Caixa ou o app FGTS. Além de lentidão no sistema, alguns usuários reclamam de erros cadastrais que impedem a consulta. Nesse caso, é recomendável insistir por outro canal oficial, como aconselha a economista chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Há diversos sites e aplicativos não oficiais que dizem permitir consultar o saldo do FGTS inativo, se o usuário fornecer o PIS/Pasep (número de identificação social do trabalhador) e a senha de acesso. No entanto, acessar esses sites e apps alternativos pode não ser seguro, como alertam as especialistas.


Como vai funcionar o saque

Mais de 10 milhões de trabalhadores que pediram demissão ou tiveram seu contrato de trabalho finalizado por justa causa até 31 de dezembro de 2015 vão poder sacar o dinheiro da conta inativa do FGTS, a partir de março.

A ordem dos saques deve ser baseada no mês de aniversário do trabalhador, para não sobrecarregar as agências da Caixa. Não haverá limite para o saque e o trabalhador poderá usar o dinheiro como quiser.

Especialistas em finanças pessoais recomendam que o trabalhador use o dinheiro, em primeiro lugar, para quitar dívidas. Se você não estiver endividado, mesmo assim vale a pena sacar o dinheiro e investi-lo em outras aplicações financeiras que oferecem maior rentabilidade.

“Não saia gastando o dinheiro para viajar ou trocar de carro, por exemplo. Monte primeiro um colchão financeiro para quando tiver algum problema de dinheiro”, aconselha a economista Marcela Kawauti, do SPC Brasil.

Desde o início de janeiro, alguns bancos já começaram a divulgar linhas de crédito para trabalhadores anteciparem o dinheiro que poderá ser sacado do FGTS. No entanto, lembre que, para isso, você poderá pagar juros altos e taxas desnecessárias, para resgatar um dinheiro que, com um pouco de paciência, logo estará em suas mãos.

“Recomendamos aguardar a data estabelecida no calendário para resgatar seu dinheiro, sem pagar nada por isso”, aconselha a economista Ione Amorim, do Idec.

Mais de Exame.com

image beaconimage beaconimage beacon