Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

O que muda no financiamento de imóveis da Caixa após a queda dos juros

Logotipo do(a) Exame.com Exame.com 17/04/2018 Marília Almeida
Caixa Econômica Federal PIS: Agência da Caixa: banco voltou a oferecer a taxa de juros mais baixa para imóveis com valor menor © Agência Senado Agência da Caixa: banco voltou a oferecer a taxa de juros mais baixa para imóveis com valor menor

São Paulo – A queda dos juros nas linhas de crédito imobiliário da Caixa, anunciada nesta segunda-feira (16) pelo banco, pode significar uma economia de 139,9 mil reais no custo total do financiamento de imóvel. É o que aponta quatro simulações feitas pelo Canal do Crédito, site que compara valores de empréstimos, para o site da EXAME.

A economia é obtida na compra de um imóvel de 1 milhão de reais, no qual 700 mil reais sejam financiados no banco. O valor total do financiamento por um prazo de 35 anos, neste caso, cai de 2,19 milhões de reais para 2,05 milhões de reais.

Já no caso de um imóvel de 300 mil reais, os juros menores gera uma economia de 42,2 mil reais. Neste caso, o valor total do financiamento passa de 628,3 mil reais para 586 mil reais. A primeira parcela cai de 2.312 reais para 2.110 reais, um diferença de 200 reais.

O levantamento mostra o valor da primeira prestação e o valor total do financiamento, com a taxa de juros cobrada pela Caixa antes e depois. O site fez as simulações para imóveis de 1 milhão de reais, 800 mil reais, 500 mil reais e 300 mil reais.

A Caixa reduziu os juros mínimos cobrados de 10,25% para 9% ao ano para imóveis enquadrados no Sistema Financeiro de Habitação (SFH). O SFH financia imóveis de até 950 mil reais no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, e de até 800 mil reais nos demais estados.

No caso de imóveis enquadrados no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), que financia imóveis cujos valores ficam acima dos limites do SFH, o banco reduziu as taxas mínimas de 11,25% para 10%.

Veja abaixo as simulações feitas pelo Canal do Crédito para quatro faixas de imóveis: R$ 1 milhão, R$ 800 mil, R$ 500 mil e R$ 300 mil:

Valor do imóvel: R$ 1 milhão

Valor do financiamento (70%): R$ 700 mil

ValoresAntesAgoraDiferença
Taxa de Juros Efetiva (a.a.)11,25%10%-11,11%
1ª PrestaçãoR$ 8.204,68R$ 7.539,97– R$ 664,71
Valor Total do FinanciamentoR$ 2.191.286,10R$ 2.051.364,70– R$ 139.921,40

Valor do imóvel: R$ 800 mil

Valor do financiamento (70%): R$ 560 mil

ValoresAntesAgoraDiferença
Taxa de Juros Efetiva (a.a.)10,25%9,00%-12,20%
1ª PrestaçãoR$ 6.123,78R$ 5.587,56-R$ 536,22
Valor Total do FinanciamentoR$ 1.658.132,20R$ 1.545.259,42-R$ 112.872,78

Valor do imóvel: R$ 500 mil

Valor do financiamento (70%): R$ 350 mil

ValoresAntesAgoraDiferença
Taxa de Juros Efetiva (a.a.)10,25%9,00%-12,20%
1ª PrestaçãoR$ 3.836,74R$ 3.501,60-R$ 335,14
Valor Total do FinanciamentoR$ 1.040.270,13R$ 969.724,64-R$ 70.545,49

Valor do imóvel: R$ 300 mil

Valor do financiamento (70%): R$ 210 mil

ValoresAntesAgoraDiferença
Taxa de Juros Efetiva (a.a.)10,25%9,00%-12,20%
1ª PrestaçãoR$ 2.312,04R$ 2.110,96-R$ 201,08
Valor Total do FinanciamentoR$ 628.326,08R$ 586.034,78-R$ 42.291,30

Fonte: Caixa Econômica Federal/Canal do Crédito

Todos os cenários simulados pelo Canal do Crédito consideram que 70% do valor do imóvel seja financiado, o máximo permitido atualmente pela Caixa tanto para imóveis novos como usados. O limite foi restabelecido para imóveis usados em conjunto com a queda das taxas.

Antes dessa segunda-feira, a Caixa estava permitindo apenas o financiamento de 50% do valor de imóveis usados. A única exceção era a linha Pró-Cotista, que já havia voltado a financiar até 70% do valor de imóveis usados em janeiro.

As simulações levam em consideração que o financiamento seja feito por um prazo de 35 anos, pelo sistema SAC, que o mutuário tenha 40 anos e opte pelo seguro da Caixa Seguradora.

É importante ressaltar que essa é a taxa mínima de juros cobrada pela Caixa para quem não tem relacionamento anterior com o banco. Caso o mutuário já seja cliente ou adquira uma cesta de produtos em conjunto com o financiamento do imóvel, o juro cobrado pode ser menor.

A simulação considera apenas as linhas de crédito imobiliário que utilizam recursos da poupança. O mutuário que deseja obter uma taxa de juros menor pode verificar se se enquadra nas condições da linha Pró-Cotista, que utiliza recursos do FGTS e voltou a ser oferecida pelo banco desde janeiro.

Caixa volta a ter os juros mais baratos para imóveis no SFH

Com a redução dos juros mínimos cobrados em suas linhas de crédito imobiliário, a Caixa voltou a oferecer a taxa mais barata para imóveis enquadrados no SFH.

Veja abaixo as taxas mínimas cobradas por cada banco em financiamentos de imóveis de até 950 mil reais em São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Minas Gerais; e de até 800 mil reais em outros estados:

BancoTaxa mínima cobrada em financiamentos de imóveis no SFH
Caixa9,00%
Bradesco9,45%
Santander9,49%
Itaú9,70%
Banco do Brasil10,44%

Fonte: Canal do Crédito

Já quando o recorte é o SFI, ou seja, imóveis com valores maiores do que 950 mil reais em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal; e maiores do que 800 mil reais nos demais estados, a Caixa ainda fica atrás do Bradesco e Santander:

BancoTaxa de juros mínima cobrada em financiamento de imóveis no SFI
Bradesco9,85%
Santander9,99%
Caixa10,00%
Itaú10,10%
Banco do Brasil10,49%

Vídeo: O preço do imóvel está muito barato. Devo desconfiar? (Via Exame.com)

A SEGUIR
A SEGUIR

Siga o MSN no Facebook

Mais de Exame.com

image beaconimage beaconimage beacon