Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Filha mais velha de Bill Gates conta como foi crescer em uma casa bilionária

Logotipo do(a) IstoÉ Dinheiro IstoÉ Dinheiro 30/06/2020 Da redação
Jennifer Gates estuda medicina e acredita que pode se tornar uma pediatra © Reprodução / Instagram Jennifer Gates estuda medicina e acredita que pode se tornar uma pediatra

Quais as vantagens de crescer como bilionária? Para Jennifer Gates, filha mais velha de Bill e Melinda Gates, além de um privilégio, foi ter oportunidades de encontrar aquilo que ela amava e aprender com essas coisas para tentar tornar o mundo um lugar melhor.

Gates, que se formou na Universidade de Stanford em 2018, agora estuda na Escola de Medicina Icahn de Mount Sinai. Ela disse, em entrevista à revista Sidelines, divulgada pelo site Business Insider, que seu pediatra foi uma inspiração para a sua escolha de profissão.

+ Bill Gates, o “boneco de vudu” dos teóricos da conspiração na internet

+ Google e Fundação Gates se aliam para criar plataforma de inclusão financeira

+ Andrew Cuomo pede ajuda de Bill Gates para repensar escolas públicas em Nova York

Jennifer acredita que pode se tornar uma pediatra ou family practitioner (um médico que cuida de toda a família), mas queria permanecer aberta a outras carreiras. Ela destaca que, apesar das diferenças, acredita que todas as pessoas experimentam dificuldades, crescimento e alegrias durante a vida e ser receptivo para aprender com os outros a ajudará a ser uma médica melhor.

A estudante também pratica hipismo e afirmou que esperava um dia conseguir uma vaga na equipe dos Estados Unidos para a Copa das Nações da Federação Equestre Internacional (FEI). No início deste ano, Jennifer anunciou seu noivado com o equestre profissional egípcio Nayel Nassar.

O pai de Gates, que há muito tempo é uma das pessoas mais ricas do mundo (agora ocupa o segundo lugar, atrás do CEO da Amazon, Jeff Bezos), tem um patrimônio líquido de US$ 108 bilhões, segundo a Forbes.

Mais de IstoÉ Dinheiro

image beaconimage beaconimage beacon