Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

PGFN usa dinheiro do FGTS para pagar palestra de autoajuda a procuradores

Logotipo do(a) Poder360 Poder360 27/01/2021 Guilherme Waltenberg

No ano da pandemia do novo coronavírus, a PGFN (Procuradoria Geral da Fazenda Nacional) pagou por ao menos 5 palestras de autoajuda nos meses de novembro e dezembro de 2020. Os valores variam de R$ 17.600 a R$ 40.000.

Ao menos 3 dessas palestras foram bancadas pelo FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). O dinheiro, descontado da folha salarial todo mês, serve, enquanto não é resgatada pelo beneficiário, para investimentos em áreas consideradas estratégicas para o país.

Receba a newsletter do Poder360

Procurada, a PGFN alegou que a iniciativa das palestras é uma estratégia de “endomarketing” para “motivar” os servidores. Leia a nota.

Palestras & Temas

Lisiane Lemos: “Novas Tecnologias e o Impacto na Gestão Pública”.

  • Data: 17.nov.2020;
  • Preço: R$ 17.600;
  • Custeio: FGTS;
  • Público: 311.

Diego Nolasco: “Criatividade e Inovação Brazuca – A gambiarra que vira ciência”.

  • Data: 18.nov.2020;
  • Preço: R$ 17.600;
  • Custeio: FGTS;
  • Público: 303.

José Ricardo Noronha: “O segredo de Harvard em negociação ‘ganha ganha'”.

  • Data: 24.nov.2020;
  • Preço: R$ 17.600;
  • Custeio: FGTS;
  • Público: 347.

Mario Sergio Cortella: “Qual é tua obra? Inquietações propositivas sobre gestão, liderança e ética?”.

  • Data: 4.dez.2020;
  • Preço: R$ 40.000;
  • Custeio: PGFN/Fundaf;
  • Público: 315.

Guilherme Messas: “A saúde mental dos colaboradores em tempos de quarentena”.

  • Data: não informada;
  • Preço: R$ 17.600;
  • Custeio: não informado;
  • Público: 306.

O dinheiro depositado no FGTS é direcionado para o FI-FGTS, fundo de investimentos administrado pela Caixa. O governo usa esse recurso para financiar programas de habitação e obras de saneamento e infraestrutura.

A PGFN recebe desse fundo para atuar junto à Fazenda Nacional. A principal atividade da procuradoria é a cobrança judicial de devedores de impostos. O órgão também organiza campanhas de regularização fiscal junto a empresas e pessoas físicas.

Mais de Poder360

image beaconimage beaconimage beacon