Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Plenário aprova destaque sobre cálculo do benefício das mulheres

Logotipo do(a) Estadão Estadão 4 dias atrás Eduardo Rodrigues, Camila Turtelli, Amanda Pupo e Anne Warth
Para as mulheres, a reforma prevê que o tempo mínimo de contribuição seja de 15 anos, e não 20, como no caso dos homens © Gabriela Biló/Estadão Para as mulheres, a reforma prevê que o tempo mínimo de contribuição seja de 15 anos, e não 20, como no caso dos homens

BRASÍLIA - O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira, 11, por 344 votos a 132 - além de 15 abstenções -, a emenda aglutinativa nº5, apresentada pela bancada do DEM, que altera o cálculo da aposentadoria para as mulheres na reforma da Previdência. Esse era um dos poucos destaques em torno do qual havia acordo para a aprovação hoje.

Pelo texto-base da reforma da Previdência aprovado na quarta-feira, 10, no Plenário, com 20 anos de contribuição, o benefício será de 60% da média salarial de contribuição, subindo dois pontos porcentuais para cada ano a mais de trabalho. A bancada feminina negociou para que a regra dos dois pontos fosse aplicada a partir dos 15 anos de contribuição para as mulheres, já que, para elas, a reforma prevê que o tempo mínimo de contribuição é de 15 anos, e não 20, como no caso dos homens.

Ainda ontem, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse ao Estadão/Broadcast que a mudança reduziria em cerca de R$ 23 bilhões a economia esperada pela reforma em dez anos. O ministro ponderou, no entanto, que outro ponto em negociação compensaria esse valor, referente à competência da Justiça Estadual para processar causas previdenciárias. Por isso, o mesmo destaque determina que uma lei seja aprovada para autorizar que a Justiça Estadual possa julgar ações previdenciárias em comarcas do interior em que não funcionar vara da Justiça Federal. Pelas regras atuais, essa delegação de competência é automática.

Segundo fontes ligadas a área, o julgamento deste tipo de ação pelos juízes estaduais é custoso aos cofres públicos porque, em média, tramita por um período de tempo maior em relação às varas federais, que são especializadas no assunto, pesando na conta os juros e a correção monetária dos processos.

Com votação da emenda aglutinativa nº 5, ficam prejudicados os destaques nº1 e nº74 (sobre valor das pensões), além das emendas aglutinativas nº 6, nº 7 e nº 11 (que também tratavam sobe a regras para as mulheres)

Após a emenda aglutinativa nº 5, o plenário analisará os outros 14 destaques de bancada que ainda restam, um de cada vez. O texto-base da reforma da Previdência foi aprovado na noite de ontem por 379 votos a 131 no plenário.

_______________________

Vídeo: Analista: 'Reforma aumentará a confiança dos investidores' (AFP)

A SEGUIR
A SEGUIR

Quer receber as principais notícias do MSN Brasil pelo Facebook Messenger?
Inscreva-se agora.

Mais de Estadão

image beaconimage beaconimage beacon