Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Mãe diz que Dado Dolabella está desempregado: ‘A fama atrapalha’

Logotipo do(a) VEJA.com VEJA.com 17/08/2017 Maria Carolina Maia
Dado Dolabella e a mãe, Pepita Rodrigues © Facebook Dado Dolabella e a mãe, Pepita Rodrigues

A prisão de Dado Dolabella, 37, pegou de surpresa a mãe, a também atriz Pepita Rodrigues, 65, uma das estrelas de Dancin’ Days, novela de enorme sucesso na Globo nos anos 1970. Segundo Pepita, Dado está desempregado há três anos, desde que foi demitido pela Record, e negociava a redução na pensão alimentícia devida ao filho de 7 anos, de cerca de 10.000 reais, porque não podia arcar com o valor. “Foi uma loucura, estou embasbacada”, diz ela. “O advogado estava tentando baixar a pensão, que é muito alta, ele não estava conseguindo pagar, só está fazendo um trabalhinho aqui e outro ali para conseguir comer.”

Dado foi demitido da Record em 2014, acusado de agredir verbalmente um produtor da emissora, acionada por ele na justiça. “Não era verdade, a agressão não foi dirigida a ninguém, ele disse que a produção da Record era uma m*** porque não comia fazia horas e estava com fome”, diz Pepita. Dado ganhou o processo em primeira instância, a Record recorreu. “Mas fica a fama, e com isso é difícil conseguir emprego”, continua.

Pepita diz que Dado está solteiro e tem se esforçado para se organizar. “Quem conhece ele passa a adorar, o Dado é uma pessoa boa, do bem, está quieto no seu canto, tentando fazer suas músicas, essa apologia do veganismo, pedindo para cuidarem dos animais”, diz.

Segundo Pepita, Dado não tem visto os filhos com frequência, porque morou um tempo na casa de um tio, em São Paulo, mas passou o Dia dos Pais com todos. Ele é pai de Eduardo Neves Dolabella, de 7 anos, de uma relação fortuita com a então estudante de direito Fabiana Vasconcelos Neves, de Ana Flor Dolabella, 3, do casamento com Juliana Wolter, e de João Valentim Sarahyba Dolabella, também de 7, da relação com a publicitária Viviane Sarahyba. É a mãe de Eduardo que move o processo. “Essa foi uma criança que ele teve depois de uma noitada, e que assumiu, porque é do bem.”

A própria Pepita tem dificuldade de voltar a atuar. “Quero muito, mas é complicado nesta minha faixa etária, são chamadas as atrizes de sempre”, diz Pepita, que está pondo um ponto final ao seu negócio de venda de vinhos. “Na semana passada, a gente teve de demitir quatro empregados para fechar a firma. O Brasil está assim, cara, é uma tristeza falar isso”, desabafa, citando a crise econômica. “Estou sem poder ajudar muito o Dado, estou sem emprego. Agora, estou correndo atrás, estou escrevendo histórias infantis, uma coisa que eu sempre quis fazer.”


Mais de Veja.com

image beaconimage beaconimage beacon