Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Marilene Saade tem ‘melhora excepcional’: síndrome rara mata até 60% dos pacientes

Logotipo do(a) Bolsa de Mulher Bolsa de Mulher 21/04/2017 Mariana Amorim

stenio garcia marilene 2 0317 400x800 © Fornecido por Batanga Media Difusão pela Internet LTDA stenio garcia marilene 2 0317 400x800

Após sofrer complicações em uma cirurgia considerada simples e passar dias na UTI, Marilene Saade, esposa do ator Stênio Garcia, teve melhora surpreendente.

A informação foi confirmada pelo irmão da atriz, Roberto Saade, ao site do jornal Extra.

"Ela teve uma melhora excepcional, muito acima do esperado, e está sendo transferida para um quarto, onde permanecerá em observação. Falei com ela por telefone agora, e ela está contente, lúcida, mas ainda falando com a voz um pouco vagarosa, por conta dos medicamentos. Não vou dizer que ela está com 100%, mas está com 99%", contou Roberto ao veículo, afirmando que a irmã “não está mais com inflamação pulmonar”.

A atriz aguarda no quarto para receber alta hospitalar. Devido ao coma de duas semanas, ela precisará fazer fisioterapia para recuperar movimentos e fonoaudiologia.

Aos 48 anos, Marilene teve contratempos após uma cirurgia para retirar um mioma (tumor uterino) e acabou desenvolvendo uma condição chamada Síndrome da Angústia Respiratória Aguda (SARA).

O que é SARA?

rx de pulmao 016 400x800 © Fornecido por Batanga Media Difusão pela Internet LTDA rx de pulmao 016 400x800

Trata-se de uma condição grave e rara, que pode atingir adultos e crianças. Ela causa insuficiência respiratória, por conta de um processo inflamatório no pulmão, que provoca acúmulo de líquidos no órgão.

É uma das formas mais graves de lesão pulmonar aguda. Estudos apontam que os principais fatores de risco associados ao desenvolvimento da SARA incluem presença de bactéria no sangue, infecção generalizada, trauma com ou sem contusão pulmonar, fraturas múltiplas, queimaduras, pneumonia, aspiração de líquidos, overdose de drogas, pancreatite e embolia gordurosa. 

A anestesia administrada em cirurgias também pode agravar a chance de desenvolver o problema. 

Taxa de mortalidade é alta: por que quadro é tão grave?

paciente hospitalizado 400x800 0117 2 © Fornecido por Batanga Media Difusão pela Internet LTDA paciente hospitalizado 400x800 0117 2

Até os anos 1990, cerca de 70% dos pacientes morriam devido à condição. Mas, recentemente, a taxa diminuiu.

Hoje, estima-se que a taxa de mortalidade seja em torno de 40%. Uma das possíveis explicações para a queda no índice está relacionada ao tratamento da infecção generalizada. 

Porém, quanto mais idade tiver o paciente, maior será o risco de morte. Segundo um estudo norte-americano, a taxa de mortalidade entre idosos com mais de 85 anos é de 60%.


O que acontece com um paciente que teve SARA?

Uma vez detectada a síndrome, o paciente precisa ser tratado em unidade de terapia intensiva (UTI) e recebe ventilação mecânica, caso de Marilene Saade.

Enquanto isso, a condição é administrada por meio de medicamentos intravenosos.

Sobreviventes da SARA podem precisar passar por reabilitação pulmonar e apresentar algumas complicações funcionais após a recuperação.

Estudos mostram que, depois do quadro, ex-pacientes passam a ter o funcionamento do pulmão parcialmente comprometido. 

Outros famosos que tiveram complicações após cirurgia:

O que aconteceu com Urach, internada na UTI por complicações pós-cirurgia

Por falta de repouso, Ex-BBB Cacau teve complicações após colocar silicone

Ex-participante de reality show morre após bariátrica: entenda complicações


Mais de Bolsa de Mulher

image beaconimage beaconimage beacon