Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Reviva o clássico Wonder Boy: The Dragon’s Trap no Xbox One

Logotipo do(a) Xbox Brasil Xbox Brasil 20/04/2017 Makson Lima

Por Omar Cornut, Diretor Técnico na Lizardcube

Estamos muito entusiasmados em lançar Wonder Boy: The Dragon’s Trap para Xbox One hoje, dia 18 de abril! Nesse post, gostaria de falar um pouco sobre a criação do jogo.

Um pouco de história antes. Wonder Boy: The Dragon’s Trap é um remake do clássico lançado originalmente em 1989 para Sega Master System, e depois para TurboGrafx-16 e Game Gear. Como muitos que tiveram a chance de jogar na infância, ficamos maravilhados com a quantidade de exploração, segredos e com a trilha sonora! Como grandes fãs, tínhamos um sonho: trazer de volta a franquia Wonder Boy e criar uma nova versão, bem linda, de nosso jogo tão amado. Foi assim que nosso estúdio parisiense, o Lizardcube, foi formado e rapidamente nos juntamos com a DotEmu nesse projeto.

© Fornecido por Editorial

Em The Dragon’s Trap, você joga como o Wonder Boy (ou Wonder Girl) que, no começo do jogo, é amaldiçoado pelo Meka Dragon e é transformado em uma monstruosidade, meio-humano, meio-lagarto. A única forma de recuperar sua forma humana é encontrar a Salamander Cross, que dizem ser guardada por outro dragão… No entanto, a maldição se aprofunda conforme mais dragões são derrotados e você acaba jogando com uma variedade de personagens meio-animais: Homem-Lagarto, Homem-Rato, Homem-Piranha, Homem-Leão e Homem-Falcão, cada um com novas habilidades, permitindo explorar Monster Land.

Nosso diretor de arte, Ben Fiquet, vem de um passado de trabalho em histórias em quadrinhos e séries animadas. Então, decidimos tirar vantagem de sua experiência e criar o jogo de forma mais tradicional, com animação feita à mão, frame a frame, de cada personagem. Essa técnica é rara nos videogames porque toma muito tempo e trabalho, mas sentimos que isso daria vida única aos personagens. Eles são limpos e instantaneamente identificáveis, o que é essencial ao gameplay, enquanto mantém esse aspecto artesanal e cartunesco. Outro jogo fazendo uso de uma técnica semelhante é o aguardadíssimo Cuphead, que adota um visual retro-animado. Aqui um exemplo da evolução da corrida da animação do Homem-Leão:

© Fornecido por Editorial © Fornecido por Editorial

Para a música, quisemos fazer uso de técnicas tradicionais. Enquanto a trilha original fazia uso dos beeps e bops da era 8-bit dos videogames, as melodias eram particularmente viciantes e contribuíram muito para a popularidade da série. Sendo assim, começamos com a base das melodias originais compostas por Shinichi Sakamoto e trabalhamos com Michael Geyre para criar versões orquestradas completamente novas. O jogo oferece uma variedade de cenários e transições surreais onde, por exemplo, abrir uma porta no céu leva a um deserto. Assim, Michael criou uma trilha inspirada em muitos gêneros diferentes, indo do clássico ao folk tradicional de diferentes países, com um pouco de tango, jazz e synth pop. É uma trilha sonora muito doida!

Para completar nosso remaster “neo-retro”, fiz uso de técnicas de engenharia reversa em cartuchos de jogos antigos para entender exatamente como o título original foi criado. Enquanto obtivemos a licença para realizar o remake, muitos de seus segredos foram esquecidos até mesmo pelos criadores! Foi necessário ter certeza de que essa nova versão iria incluir todos esses segredos, e até mais. Estudamos como o jogo antigo guardava seus segredos, como simulava sua física e então replicamos tudo isso. Só aí começamos a fazer mudanças para melhorar tudo ainda mais. Tornamos o jogo mais suave de todas as formas, enquanto tentamos nos manter fiéis ao espírito do original.

© Fornecido por Editorial

Adicionamos algumas características retrô bem legais. Com o apertar de um botão, é possível mudar dos gráficos modernos para os originais de 1989! O mesmo para música e efeitos de som. Você pode até fazer misturas, tipo jogar com gráficos modernos mas com música retrô. É possível mudar isso no meio do gameplay sem ir até o menu e é incrível e maravilhoso sentir a diferença que essas três décadas causaram. A cereja no bolo é que o jogo permite ao jogador restaurar seu save de 1989 na forma de passwords! Esperamos que alguns de vocês ainda tenham esses passwords rabiscados em algum lugar…

No fim das contas, queríamos restaurar esse clássico e nos certificar de quer seria aproveitado por muitos jogadores, dos mais jovens que não jogaram o original no lançamento, até os fãs do clássico. O jogo tem essa aura retrô que só os clássicos conseguem fazer: na medida certa.

image beaconimage beaconimage beacon