Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Chefe do Oscar Boone Isaacs se afasta de conselho de diretores

Logotipo do(a) Reuters Reuters 12/05/2017
Presidente demissionária da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas discursa durante cerimônia antes da entrega do Oscar, em Los Angeles © REUTERS/Lucas Jackson Presidente demissionária da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas discursa durante cerimônia antes da entrega do Oscar, em Los Angeles

A presidente demissionária da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que organiza o Oscar, disse nesta sexta-feira que também está se afastando do conselho de diretores.

O anúncio de Cheryl Boone Isaacs de que não tentará reeleição para o conselho ocorre após controvérsias sobre a diversidade no Oscar e um erro sobre o vencedor de melhor filme na edição deste ano.

Boone Isaacs, a primeira presidente afro-americana da Academia, está deixando o conselho depois de 24 anos, incluindo quatro anos como presidente da Academia. Sob as regras da Academia, ela não estava elegível para buscar outro mandato como presidente.

"Foi a minha maior honra participar do Conselho de Diretores da Academia em inúmeras competências por mais de duas décadas, e será um privilégio proporcionar a oportunidade de novas vozes", disse ela em um comunicado.

Leia também no MSN Brasil:
Cannes diz que Netflix não voltará a festival
Confira o novo pôster de Mulher Maravilha
'O Estranho que Nós Amamos', de Sofia Coppola, ganha cartaz

Fique por dentro de tudo o que acontece com o App MSN Notícias
Faça o download para Windows, Windows Phone, Android e iOS.


Boone Isaacs não deu nenhuma razão para sua decisão de deixar também o conselho, mas a Academia está sob pressão nos últimos três anos por causa da escassez de negros entre suas fileiras.

No ano passado, a Academia prometeu dobrar a adesão de mulheres e minorias até 2020 e tirar alguns membros mais antigos, integrantes não-ativos com privilégio de voto.

Em fevereiro, uma confusão de envelopes nos bastidores levou o musical "La La Land" a ser anunciado erroneamente como o vencedor do Oscar de melhor filme em vez de "Moonlight".

O erro, considerado o maior da história do Oscar, levou Boone Isaacs a anunciar novos protocolos para a cerimônia de premiação, que inclui a adição de um terceiro auditor e proibição de fotos e outras postagens de mídia social nos bastidores.

(Reportagem de Piya Sinha-Roy)

Mais de Reuters

image beaconimage beaconimage beacon