Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Discussão na Fifa por Borja faz Atlético Nacional não querer negociar Muñoz com o Palmeiras

Logotipo do(a) LANCE! LANCE! 3 dias atrás LANCE!
Daniel Muñoz é desejado pelo Palmeiras, mas o Atlético deseja mantê-lo (Foto: Divulgação/Atl. Nacional) © Fornecido por LANCE! Daniel Muñoz é desejado pelo Palmeiras, mas o Atlético deseja mantê-lo (Foto: Divulgação/Atl. Nacional)

Juan David Pérez, presidente do Atlético Nacional, disse que não há negociação com o Palmeiras para vender Daniel Muñoz. O diretor de futebol Anderson Barros foi a Medellín na quarta, mas não conseguiu avançar as tratativas. O impasse entre os clubes na Fifa por Borja é o motivo que dificulta a transação.

- Não há nada (com o Palmeiras por Muñoz). Aqui se diz que não se capa um cachorro duas vezes - afirmou Juan David Pérez, em entrevista ao programa "Zona Libre de Humo". O ditado significa algo como: não se repete um erro duas vezes.

- (A discussão sobre Borja) É uma situação que vem desde o segundo semestre do ano passado. Houve o vencimento de uma soma adicional por Miguel Ángel Borja, cobramos a parte do Nacional no mês de agosto, e após a negativa de pagamento fomos à Fifa. Está nela o caso - acrescentou.

O impasse é: por contrato, o Palmeiras deveria depositar 3 milhões de dólares (na época R$ 11 milhões) ao clube colombiano, caso não negociasse Borja até agosto de 2019, exatos dois anos e meio após a compra, em 2017. O Verdão, ao trazê-lo, já havia adquirido 70% por US$ 10,5 milhões (R$ 32,5 milhões na época).

O Atlético tinha a opção de ficar com esses direitos econômicos restantes, mas informou oficialmente que gostaria de receber os US$ 3 milhões. Segundo o Palmeiras, porém, o contrato não diz que esse pagamento deveria ocorrer imediatamente e afirma ter feito um acordo verbal para repassar o valor no momento da venda. Diante do impasse, o Nacional levou o caso à Fifa.

No momento, Borja está emprestado ao Junior Barranquilla, também da Colômbia, até o fim de 2020. O clube será obrigado a comprar 50% dos direitos de Borja por 4,3 milhões de dólares (R$ 17,5 milhões na conversão da época) se atuar em 73% dos jogos ou fizer 23 gols.

Anderson Barros teve um reunião pessoalmente com a diretoria do Atlético Nacional, acompanhado do advogado do clube Leonardo Holanda. Após o encontro, a avaliação já era de um negócio complicado. Muñoz, de 23 anos de idade, é um dos destaques da equipe colombiana.

Mais de Lance!

image beaconimage beaconimage beacon