Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Seleção conviveu com vaias recentes, mas não perde em SP desde 1964

Logotipo do(a) LANCE! LANCE! 13/06/2019 Thiago Ferri
Brasil venceu o Chile em 2017, no Allianz Parque, no seu último jogo em SP (Foto: Pedro Martins / MoWA Press) © Fornecido por Areté Editorial S.A. Brasil venceu o Chile em 2017, no Allianz Parque, no seu último jogo em SP (Foto: Pedro Martins / MoWA Press)

São Paulo (SP) é a capital brasileira em que a Seleção carrega sua sequência mais longa de invencibilidade: 55 anos. Ainda que a última derrota tenha ocorrido em 1964, a cidade que receberá a estreia do time na Copa América é conhecida pelo público exigente. Nos duelos recentes, vaias foram comuns.

Em 2012 e em 2014, as vitórias por 1 a 0 em amistosos contra África do Sul e Sérvia, respectivamente, geraram críticas nas arquibancadas - ambas ocorreram no Morumbi, onde a Seleção joga nesta sexta-feira. A vitória por 2 a 0 sobre o México, no Allianz Parque em 2015, também veio com reclamações.

As estatísticas, contudo, são muito boas. Desde a derrota para a Argentina por 3 a 0 no dia 3 de junho de 1964, no Pacaembu, a Seleção venceu 28 vezes e empatou em outras 11 em São Paulo. As últimas duas visitas à cidade geraram largas vitórias: 3 a 0 sobre o Chile e 3 a 0 sobre o Paraguai, ambas em 2017.

A primeira vez que o Brasil jogou no Morumbi foi em 1963 - outra derrota para a Argentina, por 3 a 2. Desde então, o time verde amarelo venceu 18 vezes e empatou mais nove quando foi mandante na casa do São Paulo.

A estreia na Copa América será contra a Bolívia, às 21h30 desta sexta-feira. O público deve se aproximar das 70 mil pessoas.

- É bom não perder há tanto tempo em São Paulo. Esperamos cobrança, mas esperamos também trazer o torcedor para o nosso lado. Estamos tentando jogar cada vez melhor, o time se conhecendo mais, os meninos estão atrevidos, com confiança para fazer grandes jogadas. O objetivo é que jogadores e torcida tenham uma comunhão, apoiando mais, vendo que o time dá o máximo que pode - afirmou Filipe Luís.

- Não tem mais Ronaldinho, Ronaldo. É outro momento da Seleção e vamos dar o máximo. Esperamos cobrança, sem dúvida. A torcida em São Paulo é diferente da de Salvador, que é diferente da de Porto Alegre. Estamos dando nosso melhor, e a torcida vendo o sacrifício virá ao nosso lado - encerrou.

Vídeo: Confira boleiros que têm o contrato vencendo na Europa (LANCE!)

A SEGUIR
A SEGUIR

Quer receber as principais notícias do MSN Brasil pelo Facebook Messenger?
Inscreva-se agora.

Mais de Lance!

image beaconimage beaconimage beacon