Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Há 4 anos, abertura da Copa do Brasil rendia memes e críticas. Relembre

Logotipo do(a) VEJA.com VEJA.com 14/06/2018 Meire Kusumoto
abertura-copa-20140612-1-original.jpeg: Jennifer Lopez, Pitbull e Claudia Leitte durante a cerimônia de abertura da Copa do Mundo 2014 no Itaquerão, em São Paulo © Reuters Jennifer Lopez, Pitbull e Claudia Leitte durante a cerimônia de abertura da Copa do Mundo 2014 no Itaquerão, em São Paulo

A abertura da Copa do Mundo da Rússia acontece nesta quinta-feira, mas para muitos a lembrança de Claudia Leitte surgindo de um enorme globo e do exoesqueleto perdendo protagonismo para um ônibus ainda está fresca. Há quatro anos e um dia, em 12 de junho de 2014, acontecia na Arena Corinthians, em São Paulo, a abertura da Copa do Mundo do Brasil. Tradicionalmente, a cerimônia não costuma ser longa e nem altamente elaborada, ao contrário do que acontece durante os Jogos Olímpicos, quando a festa é uma atração à parte, mas a abertura no Brasil foi particularmente criticada e virou piada na internet. Fosse pelo clima tenso na política – as manifestações de junho de 2013 ainda estavam frescas na cabeça de muita gente –, a irritação com os gastos públicos com a competição ou simplesmente pelo espírito zoeiro do brasileiro, cada segundo da cerimônia virou meme nas redes sociais.

Com intenção de homenagear a natureza do Brasil, a artista belga Daphne Cornez batizou o espetáculo de “Tesouros do Brasil: suas pessoas, sua natureza e o futebol”. Com esse título, já dava para imaginar que ia ter muita árvore, bichos e outros elementos que remetessem ao “exótico” que os europeus imaginam ver no Brasil. Não deu outra, mas o público conseguiu ver graça nas árvores gigantes que mais pareciam os ents de O Senhor dos Anéis e nas pessoas vestidas de samambaia.

Um momento que deveria exaltar o passado do Brasil e homenagear a comunidade indígena do país acabou virando piada por um motivo curioso: carregado no alto, em uma canoa, um bailarino vestido como índio estava preso ao barco por um cinto de segurança.

abertura4: – © Reprodução

Em seguida, um enorme Globo no centro do estádio se abriu e de lá saiu ninguém menos do que Claudia Leitte cantando Aquarela Brasileira em ritmo de olodum. Logo depois, surgiram Jennifer Lopez e Pitbull para acompanhar a brasileira em We Are One, a música oficial do mundial. Quase nada na performance passou incólume aos olhos dos produtores profissionais de memes – Claudia foi comparada à personagem infantil Galinha Pintadinha por causa de seu body azul e Pitbull virou piada pela calça “pula-brejo” branca que escolheu para a ocasião.

Momento muito esperado pelo público, o chute inicial dado por um rapaz paraplégico com a ajuda do exoesqueleto desenvolvido pelo neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis após mais de dez anos de estudo não saiu como o esperado. Quem via a transmissão pela Globo acabou perdendo o chute – justo na hora em que ele acontecia, a emissora decidiu dividir a tela e mostrar a chegada do ônibus da seleção brasileira ao estádio.

nicolelis-copa-exoesqueleto: – © Reprodução

No Facebook, Alceu Valença resumiu a cerimônia de abertura como “pobre, insossa e beirava ao ridículo” – e recebeu mais de 100.000 curtidas. “A nossa diversidade cultural que é VIVA, ALEGRE e ESPONTÂNEA foi representada por uma palidez mórbida, plastificada”, disse. “Agora, sobre a música que representa a Copa do Brasil, tenho a dizer: um arranjado vergonhoso. Sonoridade medíocre que não tem nada a ver com a gente. Será que temos que carregar a vida toda esse complexo de vira-latas e sermos carne de segunda?”

-----------------------

Vídeo: Figurinha de Neymar é a mais cara do álbum (Via AFP)

A SEGUIR
A SEGUIR

Mais de Veja.com

image beaconimage beaconimage beacon