Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

“Hoje não é mais assim”; Edmundo não se cala e faz alerta sobre situação de Endrick no Palmeiras

Logotipo do(a) Bolavip Brasil Bolavip Brasil 06/08/2022 Rafael Leitão
© Bolavip

Eterno camisa 7 do Parque Antártica abordou como Endrick deve ser acionado e fez comparação com seu início de carreira

Endrick surgiu na Copinha de 2022 como a grande revelação da Academia de Futebol Palestrina. O garoto foi um dos destaques do título do Palmeiras na tradicional competição Sub-20, atuando com apenas 15 anos. Recentemente o craque completo 16 anos e assinou se primeiro contrato com o Verdão, fato que o deixa à disposição para ser acionado por Abel Ferreira.

Porém, Endrick ainda não teve sua primeira partida pelo time principal Alviverde e há dúvidas nos bastidores palestrinos, sobre a viabilidade de lançar a joia da Academia ainda nesta temporada. Entretanto, um ídolo do Palmeiras deu sua opinião sobre a estreia de Endrick. O ex-atacante Edmundo foi direto ao ponto.

Repetir vídeo
 

“Eu acho que sim (deveria usar). No futebol não tem regra de idade. Eu testaria pelo que eu vi. Agora, você viu o golaço que o Flaco López fez? Ele é um recém-contratado… então assim, eu acho que o Endrick precisa, pode e deve ser testado, mas devagar, de forma gradativa, em um jogo mais tranquilo”, detalhou o eterno camisa 7 do Parque Antártica em sua participação no podcast “Não grita gol antes”.

Edmundo abordou seus olhares sobre a evolução de Endrick e fez um interessante comparação: “Eu fiquei muito impressionado com o que vi dele na Taça São Paulo. Muito impressionante. Quando você vê o Neymar estreando, ele era magrelo e hoje é um “touro”. O Endrick já é um “touro”. Ele é forte”, declarou.

As comparações não pararam em Neymar e o ex-atacante mexeu no passado para fazer um alerta sobre a jovem joia: “Quando eu subi para o profissional, eu era magrinho também. E na minha época, o jogo era mais pegado na base e no profissional era um jogo mais lento. Então eu levava vantagem porque estava acostumado com aquele outro tipo de jogo. Hoje não é mais assim no time principal, por causa das compactações das linhas. Ainda mais quando jogam contra o Palmeiras, todo mundo joga mais fechado, então talvez ele não tenha tanto espaço. Então, meu medo é que ele não evolua fisicamente”, explicou.

Leitura recomendada:

Mais de Bolavip Brasil

image beaconimage beaconimage beacon