Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Dovizioso 'peita' Márquez no GP da Áustria e vence pela terceira vez na temporada com manobra na última curva

Logotipo do(a) Grande Prêmio Grande Prêmio 13/08/2017 JULIANA TESSER
Andrea Dovizioso (Foto: Michelin)) © Fornecido por Grande Prêmio Andrea Dovizioso (Foto: Michelin))

O GP da Áustria foi de tirar o fôlego. Aproveitando o bom ritmo da Ducati no Red Bull Ring, Andrea Dovizioso encarou um forte duelo com Marc Márquez por boa parte da disputa e levou a melhor na curva final para assegurar neste domingo (13) seu terceiro triunfo no ano.

O duelo entre Dovizioso e Márquez durou praticamente toda a segunda metade da corrida, com diversas trocas na liderança. Na volta final, o piloto da Ducati entrou com ligeira vantagem, mas o #93 partiu para o ataque com uma manobra agressiva na curva final. O #4 não aliviou e conseguiu retomar a ponta para receber a bandeirada com 0s176 de vantagem.

Dani Pedrosa, por outro lado, remou bastante para chegar na briga pela ponta, mas, com os pneus desgastados, não conseguiu acompanhar o ritmo dos ponteiros e acabou em terceiro.

Jorge Lorenzo liderou os primeiros giros da disputa, mas ficou pelo caminho para receber a bandeirada em quarto, apenas 0s599 à frente de Johann Zarco, a melhor Yamaha.

O dia amanheceu nublado em Estíria, mas o sol foi conseguindo furar ― ainda que ligeiramente ― o bloqueio das nuvens e elevar a temperatura. Às vésperas da largada, os termômetros mediam 22°C, com o asfalto chegando a 38°C. A velocidade do vento era de 3 km/h.

Pela quinta vez no ano ― e terceira seguida ―, a pole-position era de Marc Márquez, que tinha conseguido tal feito pela última vez em 2014, ano em que venceu as dez primeiras provas do calendário. Andrea Dovizioso vinha em segundo, à frente de Jorge Lorenzo ― é a primeira vez desde o GP da Áustria do ano passado que a Ducati coloca dois pilotos na primeira fila do grid.

Melhor Yamaha, Maverick Viñales tinha o quarto posto, seu melhor resultado desde Mugello. Danilo Petrucci vinha na sequência, à frente de Johann Zarco e Valentino Rossi. Dani Pedrosa, Cal Crutchlow e Andrea Iannone completam o top-10.

Como vem fazendo desde o início do ano, a Michelin levou para a Áustria os pneus macios, médios e duros, com os traseiros em configuração assimétrica. Em caso de chuva, os pilotos podiam escolher entre os compostos macios e médios, também com os traseiros montados com o lado direito mais duro.

No grid, a escolha foi bastante diversificada. Márquez, Viñales, Rossi e Pedrosa foram com médio na frente e duro atrás, enquanto as Ducati de Dovizioso e Lorenzo tinham macios atrás. Apenas Cal Crutchlow optou por um par de duros.

Quando as luzes se apagaram no traçado austríaco, Márquez saiu bem, mas Lorenzo veio bem e tomou a ponta ainda nos primeiros metros. Dovizioso era terceiro, com Rossi passando Viñales na curva três para ocupar o quarto posto. Pedrosa era sexto, à frente de Zarco.

Com a vantagem do pneu macio, Lorenzo logo abriu uma enorme vantagem, se afastando mais de 1s de Márquez apenas em uma volta.

No fim do primeiro giro, Rossi atacou Dovizioso e passou, mas o #4 deu o troco quase que imediatamente. O piloto da Yamaha se manteve por perto, mas pressionado por Viñales, que tinha um enorme pelotão atrás.

Com um ritmo forte, Lorenzo manteve a diferença na casa de 1s, enquanto Dovizioso apertava o passo para encostar em Márquez. Rossi, por sua vez, se afastou do Rivl da Ducati, mas tinha Viñales bem junto atrás.

No fim do terceiro giro, Viñales atacou Rossi e passou, mas levou o troco. Num erro na curva um, o #25 caiu para sétimo, atrás de Pedrosa e Zarco. O piloto da Tech3, aliás, nem esperou muito para passar o #26 para trás.

Correndo na casa da KTM, Pol Espargaró entrou nos boxes ainda nos primeiros giros com um problema na RC16 e abandonou. Mesmo destino de Jonas Folger.

Enquanto isso, Márquez reduziu pela metade a margem de Lorenzo e ia levando Dovizioso e Rossi junto para a briga pela ponta. Quinto, Zarco tinha 0s9 de atraso para o #46. O italiano, aliás, era o mais rápido na pista.

Na sexta volta, a diferença entre Lorenzo e Márquez já era de 0s2, o mesmo que separava Dovizioso e Rossi na sequência. Zarco também vinha reduzindo o atraso, virando mais rápido que todo mundo.

Sem que o #93 conseguisse atacar Lorenzo, Dovizioso colou de vez no piloto da Honda, mas tampouco conseguiu margem para passar. O italiano, então, insistiu um pouco e tomou o segundo posto de Márquez na saída da curva três após uma erradela do líder do Mundial. 

Passadas as primeiras oito voltas, Lorenzo liderava com 0s5 de margem para Dovizioso, que tinha Márquez, Rossi e Zarco colados atrás. Sexto, Pedrosa vinha 0s4 atrás do francês da Tech3 e com 0s9 de margem para Viñales, o sétimo.


MotoGP 2017 República Tcheca Brno Teste coletivo Ducati Andrea Dovizioso © Grande Prêmio MotoGP 2017 República Tcheca Brno Teste coletivo Ducati Andrea Dovizioso

Mais de Grande Prêmio

image beaconimage beaconimage beacon