Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Lush anuncia saída do Brasil e culpa carga tributária e incerteza política

Logotipo do(a) VEJA.com VEJA.com 14/05/2018 Fabiana Futema
Sabonetes da loja Lush: Empresa informa que todos os produtos da Lush serão vendidos com 50% de desconto até o termino dos estoque © Getty Images Empresa informa que todos os produtos da Lush serão vendidos com 50% de desconto até o termino dos estoque

A empresa de cosmético Lush anunciou hoje que está saindo do Brasil a partir de 20 de junho. Hoje, a marca de origem britânica emprega 129 funcionários distribuídos em cinco lojas, um spa e um site de vendas.

“Até mais e muito obrigado por todas as lembranças, vocês ficarão em nossos corações. É com grande tristeza que anunciamos o fechamento da Lush no Brasil a partir de 20 de junho de 2018. Adoramos atendê-los e gostaríamos de agradecer toda a paixão e entusiasmo de vocês sobre nossa marca ao longo desses anos”, diz mensagem postada nas redes sociais.

Questionado sobre os motivos dessa decisão, a empresa culpou a alta carga tributária do país. “O Brasil é um mercado muito difícil para a operação de uma marca britânica. Apesar do crescente aumento de vendas, depois de 4 anos enfrentando prejuízos, a alta carga tributária, a prolongada recessão econômica, somados a instabilidade política, tornou impossível à Lush continuar investindo e lucrar no país”, informou a companhia.

Em nota, a empresa informa que todos os produtos da Lush serão vendidos com 50% de desconto até o termino dos estoques, exceto os da linha beneficente Charity Pot e acessórios. Até 31 de agosto, os consumidores poderão ter informações pela loja virtual, redes sociais e setor de atendimento ao cliente.

Depois disso, quem quiser comprar produtos da marca terá fazer encomendas pelo site britânico da marca. “Nossa amizade não acaba por aqui, você poderá nos encontrar no site uk.lush.com e comprar seus produtos Lush favoritos”.

A marca é famosa por combater o uso de testes de animais em desenvolvimento de produtos.


Siga o MSN no Facebook

Mais de Veja.com

image beaconimage beaconimage beacon