Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Saiba por que tatuagens duram a vida inteira

Logotipo do(a) VEJA.com VEJA.com 09/03/2018 Giulia Vidale
Tatuagem: De acordo com o estudo, a tinta 'ingerida' pelo macrófago é liberada na derme, camada intermediária da pele, quando ele morre e é absorvida pelas células circundantes. © Getty Images De acordo com o estudo, a tinta 'ingerida' pelo macrófago é liberada na derme, camada intermediária da pele, quando ele morre e é absorvida pelas células circundantes.

Você já parou para pensar no porquê as tatuagens duram a vida inteira e são tão difíceis de remover – mesmo com lasers – se a nossa pele se regenera tão rapidamente? Basicamente, nosso corpo trata a tatuagem como uma infecção. A tinta injetada na pele é ‘engolida’ pelos macrófagos, células de defesa do organismo, como se fosse um patógeno invasor.

Se a nossa pele passa por um ciclo de regeneração constante, no qual as células ‘velhas’, incluindo os macrófagos, morrem para serem substituídas por novas, seria lógico que o pigmento da tatuagem desaparecesse junto com essas células. Então, por que isso não acontece?

Tatuagem em renovação constante

De acordo com o estudo publicado no periódico científico Journal of Experimental Medicine, a tinta ‘ingerida’ pelo macrófago é liberada na derme, camada intermediária da pele, quando ele morre e é absorvida pelas células circundantes. Esse ciclo continua praticamente para sempre. Na prática, isso significa que a tatuagem se renova junto com a pele.

A descoberta dos pesquisadores da Universidade Aix Marseille, na França, refuta as teorias anteriores de que o pigmento tatuado mancha a pele, ligando a permanência de uma tatuagem à longevidade celular, em vez da regeneração celular. “Nós também demonstramos que as partículas de pigmento da tatuagem podem sofrer ciclos sucessivos de captura-liberação-recaptura sem desaparecerem”, explicaram os autores do estudo em seu artigo.

Remoção mais eficiente

Essa teoria ainda precisa ser testada em humanos – até o momento, a hipótese se comprovou apenas em roedores. Mas os pesquisadores acreditam que os resultados se aplicam a humanos e que eles podem indicar formas mais efetivas de remoção de tatuagens, como a remoção cirúrgica dos macrófagos cheios de tinta, em conjunto com o laser.


Siga o MSN no Facebook

Mais de Veja.com

image beaconimage beaconimage beacon