Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Como a meditação pode influenciar na sua alimentação

Logotipo do(a) Salon Line Salon Line 24/03/2019 Thabata Delfina

Alimentação consciente © Shutterstock Alimentação consciente Você já ouviu falar de “Mindful Eating”? Sua tradução significa alimentação consciente, mas, o que é isso exatamente? Primeiro, precisamos entender o conceito de “Mindfulness” que significa “Plena Atenção”. Mindfulness é um exercício ou técnica inspirada na meditação, que nada mais é do que prestar plena atenção no momento presente, no aqui e agora, sem se preocupar com o passado ou o futuro. Ou seja, a prática de Mindfulness nos leva a exercitar a capacidade de foco, fazendo com que qualquer atividade possa se tornar meditativa, basta prestar atenção no que está fazendo, naquele momento e somente naquilo. 

Através deste exercício é possível organizar ideias, anseios e sensações, apenas tomando consciência delas e de si, do que acontece com o seu corpo ou à sua volta naquele momento. Tudo isso sem julgamentos, apenas aceitando seu estado consciente. Por esse motivo, a meditação Mindfulness é muito eficiente no tratamento de transtornos como ansiedade e depressão, por exemplo, pois evita atitudes impulsivas. Uma mente consciente não age por impulso, não é mesmo!? 

Sendo assim, podemos dizer que a prática Mindfulness é muito benéfica para todas as esferas da vida, principalmente para nós, que vivemos na era digital, onde tudo é imediato, sempre estamos com pressa e preocupados (as) com o que temos que fazer ou deixamos de fazer. Tais anseios, característicos das últimas gerações, provocam distúrbios depressivos e de ansiedade, assim como transtornos e compulsões alimentares. Para lidar com esses problemas relacionados à alimentação, existe a Mindful Eating, inspirada na técnica Mindfulness.

Mas como ter uma alimentação consciente?

Uma mente em estado consciente entende a sua fome, sabe o que está consumindo e o quanto precisa consumir, o que evita a conhecida compulsão alimentar.

Se você se vê em um estado em que a alimentação se transformou em uma válvula de escape para conflitos internos, onde comer não é mais uma necessidade do seu corpo, mas sim uma necessidade emocional, fique tranquilo (a). Vamos sugerir alguns exercícios para que você passe a praticar uma alimentação consciente.

- Saiba de onde vem a sua fome

As primeiras perguntas que você deve fazer são essas: eu estou realmente com fome ou estou frustrado (a)? Realmente estou com fome ou estou triste? Estou alimentando o meu estômago ou as minhas emoções? Responda a si mesmo (a) as perguntas, sempre com sinceridade, mas sem julgamentos, apenas aceitando o seu estado e seus anseios, tomando consciência deles.

- Use os seus sentidos

Antes de comer, experimente visualizar bem o seu prato. Monte pratos bonitos e coloridos que enchem os olhos. Observe as cores, sinta o cheiro e aí sim dê a primeira “garfada” ou mordida. Agora preste atenção em todos os sabores dentro de sua boca e na textura dos alimentos. É importante lembrar que não comemos apenas com a boca, comemos com os olhos e com o nariz também, por isso é importante que prestemos atenção a todos os nossos sentidos, fazendo assim com que a refeição se torne prazerosa e completa.

- Coma com tranquilidade

É indicado que uma refeição dure ao menos 20 minutos, que é o tempo aproximado que o corpo leva para se sentir saciado. Por esse motivo, coma tranquilamente, sem pressa, dedique um tempo especial à sua refeição, ela merece tanto quanto qualquer outra atividade do seu dia. Uma dica é pousar os talheres na mesa após cada “garfada” e, enquanto isso, refletir sobre como esse alimento age no seu corpo, refletir sobre as sensações que ele traz a boca, de onde veio esse alimento, como ele foi produzido, usar a mindfulness para focar somente no exercício de se alimentar e somente nisso. Esse é um bom momento para refletir sobre a qualidade do que está comendo. Ao ter consciência sobre o que come, você consegue discernir sobre que alimentos favorecem ou desfavorecem o bom funcionamento do seu corpo.

- Mastigue bem

Para que o corpo processe os alimentos e faça a digestão deles corretamente é preciso mastigar direito e com calma. Primeiro porque eles precisam estar bem processados para a digestão, segundo porque mastigar bem é importante para saborear intensamente os alimentos e valorizar suas texturas -como dissemos acima-, e terceiro porque o corpo precisa entender que está se alimentando o suficiente para que se sinta satisfeito.

- Afaste-se das distrações

É claro que é bom comer acompanhado (a), tendo uma boa conversa com os amigos ou familiares, mas reserve pelo menos uma refeição do dia para fazer tranquilamente na companhia de apenas você mesmo (a). Afaste-se da TV, dos celulares, faça da refeição a sua meditação e exercite a Mindful Eating. Quando comemos distraídos com qualquer outra coisa, o nosso corpo tem dificuldade em reconhecer que estamos o alimentando, o que também atrapalha para que ele possa sentir-se saciado. É nesse momento em que exageramos na quantidade de comida ingerida ou voltamos a comer novamente pouco tempo depois.

- Entenda o seu corpo

Assim como você precisa entender quando é que você realmente está com fome, você precisa refletir sobre quando está satisfeito. Coloque no prato apenas o necessário para saciar a fome real e não precisa ser muito. Praticando o exercício de prestar atenção durante a sua refeição, você perceberá que vai sentir-se saciado (a) comendo menos, ou seja, apenas o necessário para alimentar o seu estômago e não os seus olhos. Afinal, se mesmo depois de comer tranquilamente você ainda estiver sentindo fome, você pode pegar mais, sem problema algum. Não há porque comer desesperadamente, a comida não vai a lugar nenhum.

- Xô, culpa!

A prática da Mindful Eating geralmente leva as pessoas a mudarem sua dieta alimentar, a procurar um estilo de vida mais saudável e equilibrado, porém, não se culpe por sentir vontade de comer um doce ou algo mais “pesado” de vez em quando, a chave aqui é comer com consciência, sem exageros, mas, também, sem julgamentos.

  • O novo padrão de beleza foi definido: ele começa com um sorriso no rosto e termina com muita felicidade no coração para você não ter medo de ser do jeitinho que quiser ser! O padrão da beleza é aquele que você vê ao olhar no espelho a pessoa linda que você é! #helenamorani

    Image
  • A rainha dentro de mim, saúda a rainha que existe em você! Onde estão as rainhas maravilhosas que carregam uma coroa natural de cachos e crespos todos os dias? Marque aqui aquela pessoa que reina na vida, assim como você!

    Image
  • “Ai, esse nozinho não deveria estar aqui, vou tentar desfazer ele... nossa, o que será que ela estava falando mesmo?”. Se distrair nessa situação é super fácil, né gente? Quem também já passou por isso? #prettynha

    Image
image beaconimage beaconimage beacon