Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Saiba como cuidar de suculentas em ambientes fechados

Logotipo do(a) M de Mulher M de Mulher 11/04/2017 Raquel Drehmer
suculentas © Fornecido por Abril Comunicações S.A. suculentas

Um pouco de verde em casa é uma alegria. Só que, por falta de espaço ou de tempo, nem sempre é possível ter um jardim ou mesmo plantas de vaso mais volumosas dentro de um apartamento. Por isso, as suculentas têm sido a escolha de quem quer um contato caseiro com a natureza. São plantas de baixa manutenção que dão um visual super bacana aos ambientes fechados.

O detalhe é o seguinte: baixa manutenção não quer dizer zero manutenção. Elas exigem, sim, alguma atenção para estarem sempre bem vivas, “gordinhas” e bonitonas. E para não morrerem à toa – reclamação de bastante gente que as adota, mas acaba escorregando em algum cuidado e perdendo suas plantinhas.

De condições ideais a o que fazer em caso de acidentes, as jardinistas Alice Saraiva (do Jardim do Coração) e Elisandra Michael contam para o MdeMulher como se deve tratar uma planta suculenta.

A localização: perto da luz

Quanto mais luz natural, melhor. As suculentas adoram sol pleno e luz direta. O melhor lugar para elas, portanto, é perto de uma janela em que bata sol.

“Se não tiver, a luz indireta é suficiente. Ela só não ficará tão vistosa assim”,  diz Elisandra. Isso quer dizer que um cômodo bem claro, que receba luz de uma janela próxima, pode ser legal também. O proibido é deixá-las na sombra. “Esqueça os cantinhos escondidos e as prateleiras do banheiro”, recomenda Alice.

Instagram Photo © Fornecido por Abril Comunicações S.A. Instagram Photo

O vaso: com furos no fundo

As suculentas podem ser plantadas em vasos plásticos, de cerâmica ou de argila, em estruturas de vidro, canecas ou até em sapatos velhos, desde que o recipiente tenha pelo menos um furo no fundo. “As suculentas não toleram solo encharcado. Elas precisam de drenagem, para garantir que a água não fique retida, o que apodrece as raízes e as leva à morte”, explica Alice.

O tamanho depende do tipo de suculenta. Se estiver em dúvida sobre o quão grande ela ficará, siga o conselho de Elisandra: “Inicialmente, um vaso que acomode a planta já está bom. Se ela começar a crescer muito, deve ser transplantada para um vaso maior”.

Esse transplante não tem mistério. Basta tirar a planta com toda a terra do vaso que ficou pequeno, colocar essa “massa” no vaso maior e completá-lo com mais terra.

A terra: pobrinha

Por falar nisso, a terra das suculentas é especial, mais “pobre”. A maioria das floriculturas já tem terra preparada especificamente para suculentas, o que facilita bastante a vida.

Mas, se você quiser fazer sua própria mistura, a receita é muito simples: metade de terra mineral (nunca o substrato, que é muito rico) e metade de areia de construção. Elisandra dá também a dica de colocar neste mix um pouco de cacos de telha vermelha, que ajudam a drenar a terra.

E nem esquente a cabeça com adubos, porque elas realmente não precisam deles.

As regas: não tão frequentes

Suculentas só precisam ser regadas quando a terra estiver seca. A quantidade de luz, a ventilação do ambiente e mesmo o recipiente em que elas estejam interferem bastante na necessidade de água.

Em geral, regá-las uma vez por semana é o suficiente. Em dias mais quentes, talvez seja preciso aumentar essa frequência para um dia sim, dois não – é só checar se a terra está seca.

Se passar uma semana e a terra ainda estiver úmida, não se preocupe e espere mais um ou dois dias para regar a plantinha. “A falta de água não mata uma suculenta, mas o excesso, sim”, esclarece Elisandra.

Mais uma coisinha: se, ao regar, descer água até o pratinho, essa água excedente deve ser descartada. Quando não há pratinho sob o vaso, o escoamento deve ser contido com um jornal ou algum papel absorvente até acabar de sair essa água a mais. Nunca se deve “estancar” um vazamento.

Instagram Photo © Fornecido por Abril Comunicações S.A. Instagram Photo

O que fazer em caso de acidentes

Mesmo com todos os cuidados, acidentes acontecem. Alice e Elisandra ensinam como tirá-los de letra.

– Excesso de água da chuva

Caiu aquele temporal, a janela estava aberta e a suculenta levou muito mais água do que suportaria? Tire-a o quanto antes da terra em que ela está, deixe as raízes secarem por mais ou menos 12 horas e a replante em uma terra nova e sequinha.

Exposições mais prolongadas à chuva requerem o mesmo procedimento. E observação. Se ela começar a ficar com um aspecto molenga e o caule meio transparente, é sinal de que sofreu consequências severas e, infelizmente, vai morrer.

– Excesso de sol

As suculentas amam o sol. Se forem esquecidas no sol durante um mês de férias, por exemplo, sentirão um pouquinho, mas estarão bem na volta da dona. É só retomar a rotina de regas e tudo bem. Caso sejam notadas folhas queimadas, basta colocar a planta em um ambiente de luz indireta até ela se recuperar.

– Cães e gatos estabanados

Seu animalzinho pode derrubar um vaso de suculenta sem querer. Não dê bronca nele, ele não faz por mal, só é um pouco estabanado. ❤

E mesmo se a planta quebrar ao meio, é fácil recuperá-la. Corte o caule com uma tesoura e plante-o em uma terra nova. Ele vai enraizar novamente em pouco tempo.

Mais de MdeMulher

image beaconimage beaconimage beacon