Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Principais notícias

A onda de solidariedade para ajudar as vítimas da tragédia de Janaúba

Logotipo do(a) HuffPost Brasil HuffPost Brasil 06/10/2017 Luiza Belloni

Havia cerca de 60 crianças no Centro Municipal Infantil © Reprodução Havia cerca de 60 crianças no Centro Municipal Infantil

A tragédia em uma creche em Janaúba, em Minas Gerais, chocou o Brasil. Na manhã de quinta-feira (5), um vigia provocou um incêndio em uma sala de aula com crianças. O autor do crime, uma professora e ao menos 7 crianças morreram.

Havia cerca de 60 crianças no Centro Municipal Infantil "Gente Inocente" na hora em que o vigia da creche Damião Soares dos Santos, 50 anos, arremessou gasolina em crianças e em si mesmo e ateou fogo em seguida.

Mais de 30 pessoas permanecem internadas em hospitais de Montes Claros, Janaúba e Belo Horizonte.

A notícia da tragédia também aflorou uma onda de solidariedade nas redes sociais e na própria cidade mineira.

Moradores da Janaúba que ajudaram no resgate das crianças foram reconhecidos por seus feitos. O músico Armando Lopes dos Santos, de 25 anos, não pensou duas vezes e decidiu invadir o local e levar as crianças para o hospital.

Ele estava voltando para casa quando foi informado pela vizinha que a creche estava em chamas. Em um vídeo postado por eles nas redes sociais, ele diz não acreditar no que estava acontecendo. "[Levei] as crianças completamente queimadas no meu carro. Criancinha de cinco, três, quatro anos de idade", relatou no vídeo.

À Folha, Armando disse que não pensou direito na hora e que só queria levar as crianças para longe das chamas. "Coloquei o máximo de pessoas que eu consegui. Tinha uma professora ou funcionária queimada, muito mesmo, tipo 80% do corpo em carne viva. Um rapazinho estava todo branco, uns 90% [de queimadura]", relatou.

A professora da creche Heley Abreu também é considerada uma verdadeira heroína de Janaúba. A docente de 43 anos morreu na noite de ontem, por ter 90% do corpo queimado ao tentar salvar seus alunos do incêndio. Ela também teria tentado impedir o ataque de Damião.

De acordo com o jornal O Tempo, Heley sofreu a maior parte das queimaduras enquanto tentava retirar as crianças pela janela da creche, já que o vigilante teria fechado a porta para impedir a saída das pessoas.

Redes sociais

Na internet, as pessoas espalharam solidariedade e arrecadaram dinheiro e doações para o Hospital Regional de Janaúba.

A página da cidade no Facebook pediu para que todas as crianças que estavam no local e inalaram a fumaça fossem levadas para o hospital, "pois corriam risco de vida."

Diversas pessoas compartilharam que o hospital precisava de utensílios e voluntários.

Mais tarde, a corrente se formou para as doações de sangue.

As pessoas também pediram para que usuários não compartilhassem imagens e vídeos da tragédia, em respeito às vítimas.

Homenagens e mensagens de apoio aos familiares e amigos de todas as vítimas também se proliferaram nas redes.

Lojas da região também arrecadaram dinheiro para a recuperação das vítimas e familiares.

Cidades próximas estão arrecadando donativos. A prefeitura de Montes Claros, por exemplo, mobilizou a Guarda Municipal para receber donativos e encaminhá-los às famílias das vítimas.

Como ajudar

A prefeitura de Janaúba está recebendo doações e disponibilizou uma conta bancária para as pessoas que querem ajudar financeiramente familiares das vítimas.

Em comunicado, a prefeitura diz que a Secretaria Municipal de Promoção Social está recebendo doações de água mineral, roupas para crianças e roupas de cama.

O endereço onde as doações estão sendo concentradas é Rua Américo Soares, 760, no centro. Para mais informações, ligue para o número (38) 3821-4512.

Os hospitals Regional e Fundajan também precisam das seguintes doações:

Luvas de procedimento

Dipirona injetável

Soro fisiológico

Sulfadiazina de prata

Agulha 40x12

Agulha 25x8

Jelco 24

PVPI Tópico

PVPI Degermante

Tintura de Benjoin

Morfina

Seringa de 20 e 10ml

Kit venoso de acesso central

Tramadol

Para quem quiser fazer doações financeiras, a conta oficial é:

O atentado

Até a tarde desta sexta-feira (6), 9 mortes haviam sido confirmadas. Além da professora, morreram 7 crianças e o próprio vigia.

Funcionário da prefeitura, Damião estava afastado do trabalho desde o mês passado. Ele teria ido à creche entregar o atestado médico.

Disse que iria distribuir picolés para os pequenos e se dirigiu à sala de aula, onde jogou gasolina nele próprio. Depois começou a abraçar as crianças e usou um isqueiro.

De acordo com o delegado regional de Janaúba, Bruna Barbosa, Damião tinha mania de perseguição, achava que seria envenenado e pode ter sofrido um surto psicótico antes do ataque às crianças.

Entretanto, a investigação mostra que a princípio o crime foi premeditado.

Vídeo: Veja imagens da creche após o incêndio (Via  HuffPost)

Repetir vídeo

Mais de HuffPost Brasil

image beaconimage beaconimage beacon