Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Consumo de energia tem o 4º recorde consecutivo

Logotipo do(a) Estadão Estadão 23/01/2019

Carga máxima registrou na tarde desta quarta-feira a marca de 89.114 megawatts. © Marcelo Min/Estadão Carga máxima registrou na tarde desta quarta-feira a marca de 89.114 megawatts.
A carga de energia elétrica no Brasil teve nova máxima nesta quarta-feira, 23, no quarto recorde consecutivo registrado apenas em janeiro, diante das altas temperaturas, informou o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) em nota.

Puxada pelo calor, que aumenta o uso de aparelhos de ar-condicionado, a carga máxima no sistema interligado do país registrou na tarde desta quarta-feira a marca de 89.114 megawatts, ante 87.489 MW na véspera.

Ainda houve recorde de carga também no subsistema Sudeste/Centro-Oeste, com pico de 53.143 megawatts nesta quarta-feira, em comparação com recorde anterior de 52.771 megawatts também na terça-feira.

O ONS já havia registrados recordes de demanda nos dias 15 e 16 de janeiro, quando foram quebradas marcas registradas em 2014, antes de o país enfrentar uma recessão que reduziu o consumo de eletricidade.

O ONS pontuou ainda que está operando o sistema com algumas restrições, devido às indisponibilidades da usina nuclear de Angra 2 e dos polos 1 e 3 do linhão do Madeira, que limita em 50 % o escoamento da energia das hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, em Rondônia.

Em função disso, o ONS explicou que foi necessário importar 1.200 megawatts da Argentina e 400 megawatts do Uruguai para atender os momentos de pico de demanda.

Vídeo: Bolsonaro promete um Brasil melhor para os negócios 

Repetir vídeo

Veja as notícias mais importantes do dia no seu celular com o app Microsoft Notícias. Disponível para iOS e Android. Baixe agora.

“Cabe destacar que não houve interrupção no fornecimento de energia. O ONS e os agentes estão trabalhando para resolver as indisponibilidades do sistema”, ressaltou em nota o operador do setor elétrico brasileiro.

Mais de Estadão

image beaconimage beaconimage beacon