Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Empresa francesa fecha fábrica na Argentina e se muda para o Brasil

Logotipo do(a) Clarín Clarín 10/07/2020 clarin.com
Cordoba 30 de julio 2018 - presidente mauricio Macri a punto bajar la bandera camioneta que se hara en planta renault Nissan invierte 600 millones de dolares para producir la pick-up frontier en la planta santa isabel de renault cordoba mauricio macri presidente lanzamiento camioneta nissan planta renault en cordoba camioneta nissan fabricacion pick up nissan frontier en argentina © Fornecido por Clarín Cordoba 30 de julio 2018 - presidente mauricio Macri a punto bajar la bandera camioneta que se hara en planta renault Nissan invierte 600 millones de dolares para producir la pick-up frontier en la planta santa isabel de renault cordoba mauricio macri presidente lanzamiento camioneta nissan planta renault en cordoba camioneta nissan fabricacion pick up nissan frontier en argentina

Do Clarín

   ​  

A crise no setor de autopeças está piorando: a francesa Saint-Gobain Sekurit anunciou o fechamento de sua fábrica na Argentina, após um acordo de demissão voluntária com seus 150 funcionários.

  ​

A empresa francesa, dedicada à produção de para-brisas, anunciou que vai transferir sua produção para o Brasil.

    

A fábrica argentina foi inaugurada em 2016, com um investimento de US$ 200 milhões e o objetivo de fabricar cerca de 200.000 para-brisas por ano. No entanto, nunca conseguiu produzir mais de 50.000 anualmente.

       

A produção estava parada desde fevereiro deste ano, quando a empresa decidiu suspender seu pessoal devido à crise econômica argentina, iniciada antes mesmo da pandemia do novo coronavírus. Segundo relatos, a quarentena não foi o gatilho para o fechamento da fábrica, mas a empresa aproveitou essa suspensão para negociar a demissão voluntária de seus funcionários.

     

A Saint-Gobain Sekurit era fornecedora da Chevrolet e da Renault, e também abastecia o mercado de reposição. Além da fábrica de Campana, que fechou, a empresa tem um armazém em Tortuguitas e um distribuidor em Córdoba, que também está em uma situação delicada.

      A fábrica argentina foi inaugurada em 2016. Na foto, executivos se reuniram com o então presidente Mauricio Macri na ocasião. © clarin.com A fábrica argentina foi inaugurada em 2016. Na foto, executivos se reuniram com o então presidente Mauricio Macri na ocasião.     

O fechamento dessa fábrica importante do setor de autopeças se soma ao das duas principais empresas de tintas para veículos, Basf e Axalta, anunciados na semana passada devido à queda da atividade no país e à mudança estratégica de muitas companhias que decidiram concentrar sua produção no Brasil.

      A Basf também fechará as portas na província de Buenos Aires. © clarin.com A Basf também fechará as portas na província de Buenos Aires.    

As montadoras estão atravessando uma crise sem precedentes devido à quarentena na Área Metropolitana de Buenos Aires (Amba). De acordo com dados da Associação de Fabricantes de Automotores (Adefa), o setor registra uma queda anual de 34,2%, com 123.158 unidades vendidas entre janeiro e junho.

Más de Clarín

image beaconimage beaconimage beacon