Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Principais notícias

Julgamento sobre antecipação de propaganda eleitoral de Lula e Bolsonaro é adiado no TSE

Logotipo do(a) Estadão Estadão 15/11/2017 Rafael Moraes Moura e Breno Pires

BRASÍLIA – O vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux, comunicou na noite desta terça-feira, 14, o adiamento do julgamento de dois processos que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), acusados pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) de propaganda eleitoral antecipada. 

+++ Veja quem quer ser presidente em 2018

Os dois casos giram em torno da divulgação na internet de vídeos que, na avaliação do MPE, fazem referência às candidaturas deles a presidente. Lula e Bolsonaro lideram as pesquisas de intenção de voto e já anunciaram publicamente a intenção de concorrer ao Palácio do Planalto em 2018.

+++ ANÁLISE: O barulho dos evangélicos

+++ 'The Economist' diz que Bolsonaro é um 'menino travesso', e não um messias

Fux não explicou os motivos do adiamento ao comunicar os demais ministros sobre a mudança de planos.

+++ Esquerda já traça cenário para 2018 sem Lula

A legislação permite a propaganda eleitoral somente a partir de 15 de agosto do ano da eleição e prevê multa de R$ 5 mil a R$ 25 mil para quem violar a restrição. Dentro da Corte Eleitoral, a avaliação é a de que os dois julgamentos deverão estabelecer as balizas que nortearão o entendimento do TSE sobre o tema no pleito de 2018.

Fernando Haddad: Apesar de lideranças petistas, inclusive o próprio Fernando Haddad, repetirem que Lula é 'plano A, B e C', o ex-prefeito de São Paulo é visto como nome viável caso Lula fique de fora da disputa. Haddad pode tanto representar um novo discurso de renovação quanto capitalizar os votos de Lula.

Apesar de lideranças petistas, inclusive o próprio Fernando Haddad, repetirem que Lula é 'plano A, B e C', o ex-prefeito de São Paulo é visto como nome viável caso Lula fique de fora da disputa. Haddad pode tanto representar um novo discurso de renovação quanto capitalizar os votos de Lula.
© Rafael Arbex/Estadão

Vídeo: Após racha no PSDB, tucano entrega ministério das Cidades (Via Veja.com)

A SEGUIR
A SEGUIR


Siga o MSN no Facebook

Mais de Estadão

image beaconimage beaconimage beacon