Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

PM investiga participação de policiais em atentado a bomba contra presidente de diretório do PT

Logotipo do(a) Estadão Estadão 30/06/2020 Redação
Imagem de câmera de segurança mostra homem correndo em direção a viatura da PM, logo após clarão em local de atentado © Reprodução/Twitter Imagem de câmera de segurança mostra homem correndo em direção a viatura da PM, logo após clarão em local de atentado

SÃO PAULO – A Polícia Militar abriu uma investigação para apurar a participação de policiais em um atentado a bomba contra a casa da presidente municipal do PT em Nuporanga, no interior de São Paulo, na madrugada desta segunda-feira, 29. Imagens de uma câmera de segurança mostram uma viatura da PM sendo usada na fuga de um homem logo após a explosão na casa da dirigente, Mariene Guioto.

Os policiais envolvidos foram afastados do serviço operacional, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP) estadual. O caso foi denunciado por deputados estaduais petistas nas redes sociais. Segundo a PM, a instituição instaurou o inquérito "assim que tomou conhecimento das imagens".

No vídeo, um homem corre em direção à viatura da PM enquanto um clarão aparece na imagem. O homem vai até a viatura e entra logo após a explosão, sentando-se no assento do passageiro, e a viatura arranca em seguida.

"Me solidarizo à Mariene e à militância de Nuporanga e peço para o governador investigar urgentemente e punir os envolvidos.", escreveu o deputado estadual Emídio de Souza, que publicou o vídeo nas redes sociais.

A vítima do atentado publicou nesta segunda uma mensagem em que destaca sua trajetória na defesa de melhorias das condições de trabalho para professores. "Ninguém tem o direito de violar a lei quanto aos aspectos de segurança e proteção ainda mais quando se trata de função", escreveu Mariene. "Estou inconformada, mas não desamparada nesse momento."

Neste mês, o Estadão mostrou que o governo paulista tem se empenhado para conter o que chama de “contaminação” do bolsonarismo na PM e manter a neutralidade e o caráter apartidário da instituição.

A SSP disse, em nota, que foram solicitados exames de perícia no local da explosão, e que os resultados devem ser anexados ao inquérito quando forem concluídos. "O caso foi registrado pela CPJ de São Joaquim da Barra e será investigado pela Delegacia de Polícia de Nuporanga", disse a secreatia. "Assim que tomou conhecimento das imagens, a PM instaurou um inquérito policial militar para apurar os fatos e afastou os policiais envolvidos. A Instituição não compactua com desvios de conduta e investiga rigorosamente todas as denúncias contra seus agentes."

________________________

Mais de Estadão

image beaconimage beaconimage beacon