Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Por que uma igreja no centro de São Paulo resolveu hipnotizar pombos?

Logotipo do(a) BBC Brasil BBC Brasil 27/07/2017
A SEGUIR
A SEGUIR

Ajoelhadas, 600 pessoas se concentram em oração em uma igreja no centro de São Paulo. Mas em um dos pontos altos da missa, logo após a Eucaristia, uma sequência de rasantes acompanhados de arrulhos próximos aos ouvidos dos fiéis desviam os olhares e interrompem sua paz.

Uma situação descrita por testemunhas como "um verdadeiro inferno".

"Os pombos entravam aqui e faziam cocô em tudo. Ficavam voando na hora da missa. Eu xingava e até jogava bolinhas de papel para tentar espantá-los, mas eles faziam ninhos no alto e não saíam de jeito nenhum", disse Janete Thies, que trabalha como secretária na paróquia Nossa Senhora da Consolação, uma das mais tradicionais do centro de São Paulo.

Com álcool e um paninho em mãos, Thies passava parte de seu dia limpando penas, pedras e fezes dos bancos da igreja fundada há mais de 200 anos.

Mas há um mês, os pombos passaram a evitar a igreja como o Diabo foge da cruz. A razão, diz a paróquia: a adoção de uma técnica de hipnose.

O feitiço é causado por um painel com círculos coloridos desenhados em forma de alvo, fixado em uma das entradas da igreja. Segundo a empresa responsável pela instalação, a imagem causa uma sensação de mal-estar e náuseas nos pombos, que passam a rejeitar o local.

"Os pombos ficavam procriando e faziam muito barulho na hora da missa. Mas o trabalho teve um sucesso de 100% e nunca mais nenhum pombo entrou na igreja", disse o padre José Roberto Pereira, responsável pela paróquia.

"Antes, um casal voava de um lado para o outro na hora da missa. Quando pisava na poeira, no concreto ou no gesso, caía tudo nas pessoas. Por sorte, nunca aconteceu de se sujarem com fezes", conta ele aliviado.

Pombo: Aves viram inimigo nº1 de igreja © Thinkstock Aves viram inimigo nº1 de igreja

Mas Osmando Rodrigues, supervisor técnico da Protec, empresa que instalou os equipamentos, disse que o painel, sozinho, não seria capaz de afastar os pombos. Após uma vistoria na igreja, ele e sua equipe identificaram a necessidade de fechar cada buraco que pudesse servir de porta de entrada para as aves, além de fazer uma dedetização completa.

"Instalamos telas em todos os vãos da igreja. Além de espículas (espetos não afiados) para evitar que os animais pousassem e fizessem ninhos", explicou.

Havia um ninho na torre da igreja. Segundo o padre, as aves arrancaram a manta protetora, mancharam as paredes com cocô e retiraram telhas para construir suas casas.

A paróquia não informou o custo total da intervenção, mas o dono da Protec disse que só a instalação das espículas, da tela e do painel custa de R$ 1 mil a R$ 3 mil. A obra foi paga por um doador anônimo.

Mal-estar

O supervisor da empresa responsável pelos equipamentos disse que, desde a instalação do painel, sempre que os pombos tentam voar na direção da igreja, sentem sua visão embaralhar. Segundo ele, isso causa um mal-estar e faz com que as aves desviem a direção.

Ele afirmou que a técnica de hipnose foi desenvolvida por um biólogo da própria empresa, com base em um sistema semelhante implantado no exterior. "Nós fizemos muitos testes, adaptamos para o Brasil e deu certo", contou Rodrigues.

Mas ornitólogos ouvidos pela BBC Brasil acreditam que seria praticamente um milagre caso uma imagem estampada numa placa conseguisse espantar pombos.

"Para que haja essa sensação de enjoo, a gente precisa pensar em algum mecanismo que afete o labirinto, na região do ouvido do animal. Uma imagem giratória poderia causar essa sensação de náusea. Mas mesmo se ela girasse, eu não imagino porque o animal ficaria olhando para ela até sentir náuseas", disse Thiago Dantas, professor de ornitopatologia e clínica médica de animais silvestres na Universidade Anhanguera, em Niterói (RJ).

Mas a empresa garante que o painel funciona. Ela afirma que os animais até tentam voltar para o local uma ou duas vezes, mas a sensação é tão desagradável que não retornam mais.

O padre, que convivia com o incômodo causado pelos pombos desde que chegou à paróquia, há sete anos, disse que a igreja se preocupou em instalar um sistema antiaves que não maltratasse os animais. Mas confessa que chegou a pensar em medidas mais agressivas contra os pombos, símbolo da Santíssima Trindade na doutrina católica.

"Propuseram que a gente instalasse um aparelho sonoro. Mas pensamos que, caso passasse um cachorro na rua, eles também poderiam sofrer por terem um ouvido mais sensível que o nosso. E isso a gente não queria."

Reportagem: Felipe Souza / Vídeo: Rafael Barifouse

Mais de BBC Brasil

image beaconimage beaconimage beacon