Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

São Paulo recebe carga com insumos para fabricação da CoronaVac

Logotipo do(a) Poder360 Poder360 03/12/2020 Marina Ferraz
Secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, governador de São Paulo, João Doria (PSDB) e o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas © Reprodução/Twitter João Doria Secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, governador de São Paulo, João Doria (PSDB) e o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas

Um lote de 600 litros de matéria-prima para a fabricação da CoronaVac chegou a São Paulo na manhã desta 5ª feira (3.dez.2020). A vacina contra a covid-19 é desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, que tem parceria com o governo de São Paulo. No Brasil, será produzida pelo Instituto Butantan.

O governador do Estado, João Doria (PSDB), o diretor do Butantan, Dimas Covas, e o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, estiveram no aeroporto internacional de Guarulhos para receber os insumos.

Viemos receber aqui mais um lote da vacina CoronaVac, da vacina do Butantan, a vacina que vai salvar a vida de milhões brasileiros“, disse Doria. “Esses insumos serão suficientes para a produção de 1 milhão de doses da vacina.”

São Paulo já recebeu, em 19 de novembro, 120 mil doses da CoronaVac.

Até o final deste mês de dezembro, estaremos aqui recebendo no Aeroporto de Guarulhos mais 6 milhões de doses da vacina, totalizando 7 milhões e 120 mil doses da vacina. E no próximo mês de janeiro, até o dia 15 de janeiro, mais 40 milhões de doses da vacina. A vacina do Butantan, a vacina que salva vidas”, declarou Doria.

Governador de São Paulo, João Doria (PSDB), acompanha chegada de insumos para a produção da vacina CornaVac © Divulgação – 3.dez.2020 Governador de São Paulo, João Doria (PSDB), acompanha chegada de insumos para a produção da vacina CornaVac  

A vacina está na 3ª e última fase de testes. Análise preliminar indica 97% de eficácia contra a covid-19. A CoronaVac ainda precisa de aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A agência regulatória publicou nessa 4ª feira (2.dez) um guia para que desenvolvedores de vacinas contra covid-19 solicitem autorização de uso emergencial das substâncias. Isso permitirá a vacinação de grupos específicos antes da conclusão dos testes e do registro formal junto à agência. Eis a íntegra (139 KB) do documento.

Até o momento, 3 candidatas cumprem essas condições além da CoronaVac: a desenvolvida por Oxford e AstraZeneca, a da Pfizer e BioNTech e a do grupo Janssen.

© Fornecido por Poder360

Mais de Poder360

image beaconimage beaconimage beacon