Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Estas são as naves que um dia levarão turistas e astronautas ao espaço

Logotipo do(a) Canaltech Canaltech 09/08/2018 Patrícia Gnipper
turismo espacial © Fornecido por Unilogic Media Group Ltda turismo espacial

Há tempos a gente vem comentando sobre o turismo espacial, com as companhias privadas anunciando seus planos de levar pessoas que não são astronautas para a órbita da Terra, proporcionando uma viagem inesquecível para quem puder pagar por isso. Empresas como SpaceX, Boeing, Virgin Galactic, Blue Origin e SNC têm projetos do tipo, com o turismo espacial aos poucos saindo dos roteiros de ficção científica e chegando ao mundo real.

Além disso, algumas dessas empresas também transportarão astronautas da NASA para a Estação Espacial Internacional, com o objetivo de os Estados Unidos se independerem da cápsula russa Soyuz que, hoje, faz esse transporte.

Há pelo menos cinco espaçonaves do tipo em desenvolvimento. Conheça um pouco mais sobre cada uma delas:

New Shepard, da Blue Origin

© Fornecido por Unilogic Media Group Ltda

Capaz de levar até seis passageiros por viagem, a New Shepard tem como principal objetivo o turismo espacial suborbital. A empresa de Jeff Bezos tem tudo para ser a primeira a oferecer esse tipo de passeio, uma vez que os testes com a nave estão em estágio avançado.

A nave será enviada à órbita do nosso planeta por meio de um foguete e, após a viagem, a New Sheppard voltará para a Terra contando com um paraquedas para seu retorno seguro. Por dentro, a cápsula é luxuosa: ela conta com assentos reclináveis recobertos por couro macio, com cada um dos seis assentos posicionados ao lado de uma enorme janela para garantir uma vista de cair o queixo.

Também ao lado de cada assento haverá um tablet acoplado à parede, fornecendo informações aos passageiros. E Bezos pretende iniciar as vendas dos tickets para viagens turísticas espaciais já no ano que vem!

Crew Dragon, da SpaceX

© Fornecido por Unilogic Media Group Ltda

A nave para tripulantes da empresa de Elon Musk é a principal concorrente da Boeing no que diz respeito ao transporte de astronautas da NASA, mas, independentemente de qualquer coisa, a Crew Dragon também entrará no novíssimo mercado do turismo espacial.

Decolando em um foguete Falcon 9, a Crew Dragon abriga até 7 passageiros simultâneos. Por dentro, os assentos de fibra de carbono são cobertos por um tecido de microfibra de alta qualidade, contando com um painel de comando de quatro telas acima de dois dos assentos.

O painel sensível ao toque inclui opções de controle manual, ainda que a nave seja totalmente autônoma. Quatro janelas fazem parte de sua estrutura, mas as janelas da nave da SpaceX são menores do que as da cápsula da Blue Origin — talvez porque a Crew Dragon tenha sido inicialmente projetada para o transporte de astronautas, e não exatamente para o turismo.

CST-100 Starliner, da Boeing

© Fornecido por Unilogic Media Group Ltda

Esta é a nave que bate de frente com a cápsula da SpaceX no que diz respeito aos planos da NASA, mencionados acima. Com capacidade para até 7 passageiros, a Starliner decolará por meio de um foguete Atlas V, da United Launch Alliance, e é luxuosa à beça: ela conta com iPads e Wi-Fi a bordo.

Segundo a Boeing, a Starliner pode ser reutilizada até 10 vezes, desde que se respeite um intervalo de seis meses entre os voos para os devidos reparos. Contudo, imprevistos nos últimos testes fizeram com que a Boeing atrasasse o cronograma do projeto e, portanto, pode ser que os testes tripulados somente aconteçam no final de 2019.

VSS Unity, da Virgin Galactic

© Fornecido por Unilogic Media Group Ltda

Capaz de transportar seis passageiros, a VSS vem sendo anunciada pela Virgin Galactic há anos, com a empresa até mesmo já iniciando a venda dos ingressos para os passeios na órbita terrestre, mesmo sem previsão de quando isso irá acontecer.

A previsão é de que os preços da viagem fiquem na faixa dos US$ 250 mil, e, surpreendentemente, mais de 700 ingressos já foram vendidos. A viagem da Virgin Galactic deve durar 2,5 horas no total, sendo que o VSS, diferentemente das naves da SpaceX e da Blue Origin, é, na verdade, um avião supersônico. Por isso, ele é capaz de voar sozinho, sem a necessidade de um lançamento por meio de foguetes.

Do tempo total da viagem, apenas cinco minutos serão dedicados à experiência de gravidade zero. Após isso, a nave reentra na atmosfera da Terra de maneira gradual, aterrissando de volta na pista de onde partiu.

Dream Chaser, da Sierra Nevada Corporation (SNC)

© Fornecido por Unilogic Media Group Ltda

Também capaz de levar até sete pessoas em um só voo, a Dream Chaser da SNC decolará por meio de um foguete Atlas Vault, da United Launch Alliance, e, em seu retorno, ela é capaz de pousar em qualquer pista que possa acomodar um Boeing 737.

A nave parece um ônibus espacial, mas é bem menor, tendo apenas nove metros de comprimento. A partir de 2020, a nave também deve atender às necessidades da NASA no transporte de cargas para a ISS, já que a SNC perdeu para a Boeing e para a SpaceX a chance de fazer missões tripuladas para a agência espacial.

Com informações de TechRadar

Mais de Canaltech

image beaconimage beaconimage beacon