Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

SpaceX lançará 71 satélites em combate à pirataria marítima e pescaria ilegal

Logotipo do(a) Canaltech Canaltech 08/11/2018 Rafael Arbulu
Falcon 9 © Fornecido por Unilogic Media Group Ltda Falcon 9

Se a próxima missão do foguete Falcon 9, da SpaceX, der certo, a empresa comandada por Elon Musk não apenas cementará seu sucesso nas atividades comerciais de lançamentos de embarcações ao espaço, mas também se tornará peça importante no combate às atividades marítimas criminosas, como pirataria e pescaria ilegal.

No próximo dia 19 (segunda-feira), a SpaceX lançará um novo foguete Falcon 9 que, acompanhado de embarcações menores de 35 empresas e organizações, lançará 71 satélites em órbita para atividades variadas. Três destes satélites, porém, merecem destaque: pertencentes à startup Hawkeye 360, eles vêm equipados com software capaz de “enxergar” transmissões de rádio. Com isso, a empresa espera identificar posições de “navios escuros” — nome dado a embarcações que desligam propositalmente seus transponders GPS, efetivamente “sumindo” dos radares convencionais —, que podem estar escondendo atividades ilegais.

Próxima missão do foguete Falcon 9 deve posicionar satélites que vão detectar navios piratas Próxima missão do foguete Falcon 9 deve posicionar satélites que vão detectar navios piratas

Tais atividades incluem o tráfico de drogas e pessoas, pescaria de animais protegidos ou em zonas proibidas e pirataria, e custam às autoridades de diversos países cerca de US$ 3 trilhões ao ano, segundo o CEO da Hawkeye 360, John Serafini. “Nós nos importamos com as pessoas que não estão fazendo a coisa certa. Nós nos importamos com as embarcações que não querem ser encontradas. O nosso foco é o de encontrar e pará-las".

O software da Hawkeye 360 não conta apenas com tecnologia de detecção de ondas de rádio, mas também emprega machine learning para rastrear embarcações suspeitas a longo prazo, inclusive prevendo movimentos futuros por meio de inteligência artificial. Serafini diz que “essa empresa não poderia ser criada há 10 anos: os custos eram muito altos, a tecnologia, muito avançada”. Ele credita as possibilidades modernas à miniaturização da tecnologia, aos avanços em pesquisas com IA e à redução de custo de lançamento de missões espaciais trazida pela SpaceX.

Fonte: Business Insider

Mais de Canaltech

image beaconimage beaconimage beacon