Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Cientistas encontram fóssil de tartaruga de 2,4 metros

Logotipo do(a) Superinteressante Superinteressante 15/02/2020 Carolina Fioratti
© University of Zurich/Edwin Cadena/PA/Divulgação

Se você acha que as tartarugas das Galápagos são as maiores de todas, sentimos lhe informar que você está enganado. Entre 13 e 7 milhões de anos atrás (pouquíssimo tempo em escala geológica), a Stupendemys geographicus, uma tartaruga que podia alcançar quatro metros e pesar 1,25 toneladas, habitava a região. 

E agora, cientistas encontraram um (baita) fóssil do animal. Os registros estavam no deserto de Tatacoa (Colômbia) e na região de Urumaco (Venezuela), que na época eram uma floresta tropical – uma proto-amazônia, digamos. 

A Stupendemys, como o nome sugere, é realmente estupenda. Só pra ter uma ideia, o novo fóssil é 100 vezes maior que seu parente mais próximo, a tartaruga-de-cabeça-grande-do-Amazonas. Confira a foto do casco, comparado ao corpo do paleontólogo venezuelano Rodolfo Sanchez, um dos envolvidos na descoberta:

Os machos da espécie eram, provavelmente, bem briguentos. Eles eram equipados com grandes chifres encaixados em seus cascos próximos ao pescoço, essas eram suas armas em disputas por território e pelo coração das fêmeas. Elas, por sua vez, não apresentavam esse “extra”. 

Analisando os resquícios de mandíbula, pesquisadores conseguiram supor qual era a dieta do bicho. Ele não tinha frescura, se alimentava de peixes, jacarés, cobras e moluscos, mas também não dispensava frutas e sementes. 

Mas no fundo dos rios e lagos em que viviam, não estavam sozinhos e tinham o tamanho como principal aliado na luta contra predadores. Dividiam as águas com crocodilos gigantes, como o Purussauro e o Gryposuchus, que alcançavam, respectivamente, onze e dez metros de comprimento. 

Considerando o animal como um todo, e não apenas o casco que vimos na imagem, o paleontólogo colombiano Edwin Cadena disse ao The Guardian que “Os maiores indivíduos dessa espécie eram do tamanho de um carro grande, se levarmos em conta a cabeça, o pescoço, o casco e os membros.” Medo.

________________

Vídeo: Onde está o amor? Indonésia reprime Dia dos Namorados (AFP)

A SEGUIR
A SEGUIR


Mais de Superinteressante

Superinteressante
Superinteressante
image beaconimage beaconimage beacon