Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Globo vai transmitir votação da denúncia contra Temer na Câmara

Logotipo do(a) VEJA.com VEJA.com 5 dias atrás Da Redação
A votação do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, transmitida ao vivo pela TV Globo em 2016: Retrospectiva 2016: Aprovação do processo de impeachment na Câmara dos Deputados © Cristiano Mariz Retrospectiva 2016: Aprovação do processo de impeachment na Câmara dos Deputados

A votação da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) no plenário da Câmara dos Deputados, marcada para o dia 2 de agosto, uma quarta-feira, será transmitida ao vivo pela TV Globo. Assim como nas votações dos processos de impeachment dos ex-presidentes Fernando Collor, em 1992, e Dilma Rousseff, em 2016, a emissora fará a transmissão integralmente e sem interrupções. A informação foi publicada nesta segunda-feira pela colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

Conforme definiu o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a sessão terá início às 9h e, caso reúna o quórum mínimo de 342 deputados para o início da votação, será concluída no mesmo dia. Se não houver o número necessário de presenças no plenário, a apreciação do relatório do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), contrário à aceitação da denúncia, será pautada para a próxima sessão e assim por diante.

Assim como nas votações dos impeachments de Collor e Dilma na Câmara, que duraram duas horas e seis horas, respectivamente, os votos serão nominais e abertos, ou seja, cada deputado deverá se dirigir ao microfone e dizer se concorda ou não com o relatório de Abi-Ackel.

O voto “sim” significará posição pelo arquivamento da denúncia, enquanto o “não”, pelo seguimento da acusação da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Temer por corrupção passiva ao Supremo Tribunal Federal (STF). Para que a denúncia seja encaminhada ao STF, são necessários 342 votos.

Com a transmissão ao vivo pela TV Globo, emissora de maior audiência no país, aumenta a pressão sobre os parlamentares, que deverão indicar em rede nacional e na véspera de um ano eleitoral se concordam ou não com a primeira denúncia por corrupção contra um presidente brasileiro.

Arquivado em:Política

Leia também no MSN Brasil:
Janot: 'Ninguém fica feliz em dar imunidade a criminoso'
Com denúncia, Temer recebe 82 deputados
Operação Lava Jato já chegou a três continentes

Fique por dentro de tudo o que acontece com o App MSN Notícias
Faça o download para Windows, Windows Phone, Android e iOS.

Mais de Veja.com

image beaconimage beaconimage beacon