Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Principais notícias

AO VIVO: Abraham Weintraub fala na Câmara sobre cortes na Educação

Logotipo do(a) Exame.com Exame.com 15/05/2019 Clara Cerioni

São Paulo — Após ser derrotado na Câmara dos Deputados, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, participa nesta quarta-feira (15) de uma audiência no plenário da Casa.

A intenção é esclarecer os anúncios de cortes no orçamento das universidades públicas e instituições federais. Ele terá, no começo, 30 minutos para falar. Depois, os líderes de partidos poderão fazer perguntas a ele.

Na noite desta terça-feira (14), os parlamentares aprovaram por 307 votos a 82 sua convocação.

Assista ao vivo a participação do ministro da Educação na Câmara dos Deputados:

As explicações de Weintraub acontecem ao mesmo tempo em que o país está tomado de protestos contra as medidas anunciadas pelo MEC. Ao menos 22 estados mais o Distrito Federal registram manifestações.

Em declaração no começo desta tarde, nos Estados Unidos, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, classificou de “idiotas úteis” e “massa de manobra” os manifestantes que organizam as passeatas.

Cortes

Desde que assumiu o posto no começo de abril, Weintraub congelou recursos tanto da educação básica quanto das universidades federais. Ao menos 2,4 bilhões de reais que estavam previstos para investimentos em programas da educação infantil ao ensino médio foram bloqueados.

O ministro também declarou que haveria um corte de 30% no orçamento de universidades federais que promovessem “balbúrdia” e tivessem desempenho acadêmico abaixo do esperado.

Ele citou a Universidade Federal da Bahia, a Universidade Federal Fluminense e Universidade de Brasília como alvos, apesar de todas estarem entre as 50 melhores da América Latina segundo o ranking Times Higher Education.

Depois, o ministro recuou e afirmou que o corte seria linear para todas as universidades federais, o que segundo reitores inviabiliza a continuidade das atividades; os repasses já passaram por cortes sucessivos nos anos anteriores.

O ministro passou então a destacar que o corte é sobre a verba de custeio e portanto mais próximo de 3%, pois grande parte das despesas universitárias são obrigatórias por lei, como os salários.

Além do corte no repasse para as federais, 3.474 bolsas para estudantes de mestrado, doutorado e pós-doutorado oferecidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) também foram suspensas. 

Vídeo: 'A sociedade precisa ajudar mais a escola' (TV Cultura)

A SEGUIR
A SEGUIR

Quer receber as principais notícias do MSN Brasil pelo Facebook Messenger?
Inscreva-se agora.


Mais de Exame.com

image beaconimage beaconimage beacon