Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Novo Escola sem Partido prevê gravação de aulas

Logotipo do(a) Estadão Estadão 06/02/2019 Camila Turtelli
Na legislatura passada, depois de um projeto de teor similar tramitar o ano inteiro por uma comissão especial, o texto acabou sendo arquivado © Wilton Junior/Estadão Na legislatura passada, depois de um projeto de teor similar tramitar o ano inteiro por uma comissão especial, o texto acabou sendo arquivado

A deputada Bia Kicis (PSL-DF) protocolou nesta segunda-feira, 4, um novo projeto para tentar instituir a chamada Escola sem Partido. No projeto, a deputada quer tornar lei o direito dos alunos de gravar aula, “a fim de permitir a melhor absorção do conteúdo ministrado e de viabilizar o pleno exercício do direito dos pais ou responsáveis de ter ciência do processo pedagógico e avaliar a qualidade dos serviços prestados”. A medida, considerada por educadores uma forma de patrulha, valeria só para o ensino público.

Na legislatura passada, depois de um projeto de teor similar tramitar o ano inteiro por uma comissão especial, o texto acabou sendo arquivado. “Achei melhor protocolar um novo projeto, mais aprimorado”, afirmou a deputada.

No projeto de Kicis, ela prevê, por exemplo, que o Poder Público “não se imiscuirá no processo de amadurecimento sexual dos alunos nem permitirá qualquer forma de dogmatismo ou proselitismo na abordagem das questões de gênero” e que grêmios estudantis não podem fazer atividade político-partidária. A proposta da deputada do partido de Jair Bolsonaro mantém a ideia de se afixar cartazes em sala com o conteúdo da lei, tema que já causou bastante polêmica anteriormente.

Em outro ponto, elas sugere que “as escolas particulares que atendem a orientação confessional e ideologia específicas poderão veicular e promover os conteúdos de cunho religioso, moral e ideológico autorizados contratualmente pelos pais ou responsáveis pelos estudantes, devendo ser respeitado, no tocante aos demais conteúdos, o direito dos alunos à educação, à liberdade de aprender e ao pluralismo de ideias”. Defensores do escola sem partido ainda defendem a criação na Câmara de uma “CPI da doutrinação”.

________

Vídeo: Bolsonaro tem previsão de alta adiada (Via AFP)

A SEGUIR
A SEGUIR

Veja as notícias mais importantes do dia no seu celular com o app Microsoft Notícias. Disponível para iOS e Android. Baixe agora.

Mais de Estadão

image beaconimage beaconimage beacon