Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Imbatível nas redes sociais, Trump coleciona derrotas nos últimos 10 dias

Logotipo do(a) VEJA.com VEJA.com 30/06/2020 Da Redação
FILE PHOTO: A supporter of U.S. President Donald Trump shoots a video with his mobile phone from the sparsely filled upper decks of the arena as the president addresses his first re-election campaign rally in several months in the midst of the coronavirus disease (COVID-19) outbreak, at the BOK Center in Tulsa, Oklahoma, U.S., - 20/06/2020 © Leah Millis/Reuters FILE PHOTO: A supporter of U.S. President Donald Trump shoots a video with his mobile phone from the sparsely filled upper decks of the arena as the president addresses his first re-election campaign rally in several months in the midst of the coronavirus disease (COVID-19) outbreak, at the BOK Center in Tulsa, Oklahoma, U.S., - 20/06/2020

Nada de imprensa, TV, porta voz ou Diário Oficial.  Donald Trump, gosta mesmo é de falar pelas redes sociais. Por meio delas, ele elimina intermediários e se comunica diretamente com o eleitorado, anunciando medidas, cunhando expressões estranhas, como “covfefe“, se metendo em polêmicas o e, claro, atacando adversários –  Joe Biden , ex-vice-presidente e rival nas eleições presidenciais deste ano, por exemplo, é o “Dorminhoco”.

Tamanha desenvoltura nas redes fez de Trump o principal galo do terreiro digital. O jornal americano Washington Post chegou a se impressionar com o fenômeno e celebrar “A surpreendente genialidade da conta no Twitter de Donald Trump”, em um artigo de 2015, quando ele era apenas um candidato com poucas chances de chegar à Casa Branca.

Trump, porém, já não dá as cartas. Se não surgiu nenhum político capaz de fazer tanto sucesso e angariar mais seguidores, o presidente americano tem colecionado derrotas impostas justamente pelas empresas que atuam no segmento. Em apenas dez dias, três reveses complicaram a vida do rei das redes.

Continua após a publicidade

Twitch

Ainda nesta segunda-feira, a Twitch, que é uma plataforma de transmissão de vídeo ao vivo da Amazon, baniu por tempo indeterminado o canal oficial de Trump na rede social devido à sua “conduta de ódio”. O presidente tem o seu canal oficial na Twitch desde outubro de 2019.

“Conduta de ódio não é permitida na Twitch. De acordo com nossas políticas, o canal do presidente Trump recebeu uma suspensão temporária da Twitch por comentários feitos em transmissões ao vivo, e o conteúdo ofensivo foi removido ”, disse uma porta-voz da Twitch.

A porta-voz mencionou como exemplo a retransmissão de um comício de Trump em 2016, no qual o presidente disse que o México estava enviando estupradores para os Estados Unidos.

Em outro ataque de Trump citado pela porta-voz, o presidente associou de novo que a comunidade latina ao crime de estupro durante o comício de 20 de junho deste ano, em Tulsa, no estado de Oklahoma, quando ele contou uma alegoria do “hombre durão”.

Continua após a publicidade

“É uma hora da manhã e um, já usei a palavra hombre, um hombre muito durão está invadindo a casa de uma jovem cujo marido, um vendedor ambulante, está ausente”, disse Trump.

A campanha de reeleição do presidente não respondeu sobre o incidente até então.

Reddit

A rede social Reddit derrubou nesta segunda-feira, 29, o fórum r/The_Donald, onde cerca de 7.800 apoiadores se comunicavam diariamente. Segundo a plataforma, o motivo para a medida radical foi principalmente a exposição de conteúdo de ódio.

“Todas as comunidades do Reddit devem cumprir nossa política de conteúdo de boa fé. Banimos o r/The_Donald, porque [ele] não o fez, apesar de todas as oportunidades ”, disse o presidente-executivo do Reddit, Steve Huffman.

Continua após a publicidade

O r/The_Donald já havia sido posto pelos moderadores do Reddit em 2019 em “quarentena” após denúncias de ameaças de violência feitas no fórum contra policiais e funcionários públicos.

De fato, Trump não tinha nenhuma relação oficial com o fórum, tendo participado apenas uma vez, quando respondeu a perguntas dos integrantes,  durante a campanha presidencial de 2016.

Os apoiadores do presidente no r/The_Donald, em compensação, não foram os únicos a serem banidos da plataforma hoje. Outros 200 fóruns foram fechados nesta segunda-feira, incluindo o r/ChapoTrapHouse, relacionado informalmente ao podcast homônimo, que é crítico de Trump. O r/ChapoTrapHouse tinha mais de 42.000 membros ativos diariamente.

TikTok

O comício de Trump em Tulsa foi palco de outra derrota do presidente nas redes sociais. Usuários da rede social TikTok, em especial a comunidade dos fãs de K-Pop, completaram formulários de participação naquele comício para poder boicotar o evento. Assim, os internautas esperavam iludir a campanha de Trump em relação à expectativa de comparecimento.

Continua após a publicidade

Embora o porta-voz da campanha de Trump, Tim Murtaugh, tenha afirmado que não foi enganado pelos “esquerdistas” e que desconsiderou “dezenas de milhares” de formulários no cálculo da expectativa de comparecimento no comício, o presidente tuitou cinco dias antes do evento que “quase um milhão de pessoas” haviam encomendado ingressos para o evento.

Continua após a publicidade

O evento repercutiu na imprensa americana pelas imagens das arquibancadas vazias. O corpo de bombeiros de Tulsa calculou oficialmente menos de 6.200 pessoas compareceram no comício, realizado no Bank of Oklahoma Center, que tem capacidade para mais de 19.000 pessoas.

“Na verdade, você acabou de ser abalado por adolescentes no TikTok que inundaram a campanha de Trump com reservas falsas de ingressos e o levaram a acreditar que um milhão de pessoas queriam [te ouvir]… o suficiente para encher uma arena durante [a pandemia] da Covid[-19]”, tuitou a deputada democrata, e também afinada em redes sociais, Alexandria Ocasio-Cortez.

(Com Reuters)

Mais de Veja.com

image beaconimage beaconimage beacon