Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Amôedo lidera doações de vaquinha eleitoral após uma semana

Logotipo do(a) Estadão Estadão 24/05/2018

© Foto: Reprodução/Facebook

Uma semana após entrar em funcionamento, o sistema de doações de vaquinha virtual do Tribunal Superior Eleitoralampliou a lista de empresas cadastradas para que o eleitor contribua com pré-campanhas nas eleições deste ano de 20 para 38. Entre os pré-candidatos à presidência, o maior beneficiado pelo sistema de vaquinha virtual é João Amôedo, do Partido Novo, recebeu cerca de R$ 90 mil, segundo o site Arrecada.br.

+ Entenda como funciona a vaquinha virtual eleitoral

Um levantamento feito pelo Estado junto a esses sites indica que 165 pré-candidatos à presidência, governador, senador e deputados estaduais e federais já receberam doações. O valor total soma R$ 306 mil, aproximadamente.

Outra presidenciável que já recebeu doações é Valéria Monteiro, do PMN, com uma contribuição de R$ 90, de acordo com o site Juntos Venceremos.

Entre os pré-candidatos a deputado federal e estadual que reuniram recursos por meio da vaquinha virtual estão os integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL) Kim Kataguiri, que arrecadou R$ 880, e Arthur "Mamãe Falei", ambos do DEM, com R$ 1.234.

Apesar de ainda incipientes e com valores relativamente baixos em alguns casos, as doações já estão em vigor, com valores que variam de R$ 5 a até o limite máximo de R$ 1 mil. Nem todos os sites de vaquinhas virtuais cadastrados na Justiça eleitoral, no entanto, divulgam os dados das doações ao público.

A minirreforma política de 2015 regulamentou o uso das “vaquinhas virtuais”, ou crowdfunding, por meio das quais os candidatos nas eleições deste ano podem captar recursos de pessoas físicas. O limite diário máximo por eleitor é de R$1.064,10. No total, as doações não podem superar o limite de 10% da renda bruta que a pessoa física obteve em 2017, segundo sua declaração de imposto de renda.

Os candidatos a cargos majoritários e parlamentares só poderão usar o dinheiro a partir de julho, uma vez que suas chapas forem confirmadas nas convenções partidárias. O dinheiro ficará retido até então com o site que o político usar para realizar sua ‘vaquinha’.


Siga o MSN no Facebook

Mais de Estadão

image beaconimage beaconimage beacon