Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

PT anuncia acordo por neutralidade do PSB

Logotipo do(a) Poder360 Poder360 02/08/2018 Lauriberto Brasil
A vereadora Marília Arraes seria candidata ao governo de Pernambuco pelo PT © Reprodução A vereadora Marília Arraes seria candidata ao governo de Pernambuco pelo PT

A Executiva Nacional do PT anunciou por meio de nota, nesta 4ª feira (01.ago.2018), que a vereadora Marília Arraes (PT) não será candidata ao governo de Pernambuco. A convenção do PT-PE que definirá a posição do partido no estado será nesta 5ª (02.ago).

Dessa forma, o PT declara apoio a reeleição do governador Paulo Câmara (PSB-PE) e espera como contrapartida que o PSB fique neutro quanto a disputa presidencial. A convenção nacional pessebista acontece no dia 5 de agosto.

A informação foi confirmada em nota divulgada pela coordenação de campanha de Fernando Pimentel. Segundo a coordenação, o governador de Minas Gerais foi quem negociou a aliança nacionalmente.

Atualmente, o partido socialista se divide entre a neutralidade ou apoiar a candidatura de Ciro Gomes (PDT) à Presidência.

A direção nacional do PSB não havia confirmado o acordo até as 19h.

Em vídeo divulgado no Facebook, Marília Arraes nega a desistência. “Esse é mais 1 ataque especulativo para desmobilizar nossa militância”, disse. “Nós estamos firmes, não vamos deixar que a esperança do povo de Pernambuco seja utilizada como moeda de troca”, completou.

Eis o vídeo da vereadora falando sobre o caso:

Publicação do Facebook relacionada

Compartilhado do Facebook

Marília é vereadora de Recife, prima do ex-governador de Pernambuco e candidato a presidente em 2014, Eduardo Campos (PSB), e neta do ex-governador e 1 dos fundadores do PSB, Miguel Arraes.

O acordo oferecido pelo PT ao PSB também passa pela desistência de Márcio Lacerda (PSB) na disputa pelo governo de Minas Gerais. O pessebista deve apoiar a reeleição do governador Fernando Pimentel (PT).

Eis a íntegra da nota da executiva nacional petista:

O Partido dos Trabalhadores, por meio de resolução do Diretório Nacional de dezembro de 2017, decidiu conferir prioridade absoluta à candidatura do companheiro Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República.

A primazia do projeto nacional nas eleições de 2018 foi reiterada em sucessivas resoluções do Diretório Nacional e da Comissão Executiva Nacional, orientando e vinculando a este projeto as alianças nos estados.

Com o objetivo de fortalecer a unidade do campo popular em torno da candidatura Lula, e na perspectiva de construir as condições políticas para que uma aliança progressista governe o país a partir de janeiro de 2019, a direção do PT desenvolveu intenso diálogo com outros partidos, prioritariamente PSB e PCdoB, com os quais temos vínculos históricos.

PSB e PCdoB estão entre os cinco partidos que assinaram conosco, por meio das fundações partidárias, o manifesto programático Unidade para Reconstruir o Brasil. Nestas eleições, já estamos juntos na Bahia, Acre, Ceará e Maranhão, e trabalhando para constituir alianças no maior número possível de estados.

O PT entende que a unidade do campo popular é necessária para superarmos a profunda crise do país, reverter a agenda do golpe e retomar o projeto de desenvolvimento com inclusão, onde o povo e os trabalhadores voltem a ser o centro das ações de governo.

Nessa perspectiva, o PT decide incorporar-se às campanhas em que esses aliados históricos disputam governos estaduais, criando as condições para ampliar nacionalmente o apoio à candidatura Lula.

Diante disso, a Comissão Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores, com base no Artigo 159 do Estatuto do PT e cumprindo as resoluções do Diretório Nacional sobre a candidatura do companheiro Lula à Presidência da República, resolve, como diretriz estabelecida por esta instância:

Apoiar, nos estados do Amazonas, Amapá, Paraíba e Pernambuco, os candidatos a governador do PSB, assim como já apoiamos a candidatura do PCdoB no Maranhão;

Formalizar este apoio por meio da integração do PT às respectivas coligações majoritárias;

Formalizar o convite ao PROS para integrar a coligação nacional em torno da candidatura Lula.

Brasília, 1º. de agosto de 2018

Comissão Executiva Nacional do PT

______________________________________________________________________________

Vídeo: Jair Bolsonaro abrirá os arquivos da ditadura? (Via TV Cultura)

A SEGUIR
A SEGUIR

 

Mais de Poder360

image beaconimage beaconimage beacon