Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Pioneira da cena drag no Brasil, Miss Biá morre aos 81 anos de Covid-19

Logotipo do(a) Veja São Paulo Veja São Paulo 03/06/2020 Redação VEJA São Paulo
© Reprodução/YouTube/Veja SP

Morreu nesta quarta-feira (3) em São Paulo a pioneira drag queen Miss Biá, persona do maquiador Eduardo Albarella. A também atriz, transformista e maquiadora tinha 81 anos e foi vítima da Covid-19.


Conheça e ajude instituições que apoiam a comunidade LGBT

Veja página especial sobre o movimento LGBT

Uma das drag queens pioneiras do país, Miss Biá tinha 60 anos de carreira e fez inúmeras performances durante o período de ditadura militar no Brasil, quando a perseguição aos LGBTQ já era praticada pelo Estado brasileiro. Paulistana nascida no Brás, a artista também inspirou um documentário produzido pelo Museu da Diversidade Sexual — a produção está disponível no YouTube, em quatro partes. Miss Biá também ficou conhecida ao homenagear Hebe Camargo em suas produções.

+ Assine a Vejinha a partir de 6,90

“Miss Biá era uma lenda. Era gigante. Perdemos hoje uma pioneira. Alguém que, em tempos de ditadura, ousou ser artista, ousou ser drag queen — ou transformista, como se dizia na época. Alguém que homenageava a maior apresentadora da TV brasileira, Hebe Camargo, com seu trabalho e sentou no sofá mais famoso do país, em um tempo de grande preconceito”, lamentou o apresentador Fernando Oliveira em publicação no Instagram. “Miss Biá é mais uma que perdemos para a Covid. Miss Biá merece todas as homenagens e deixa um legado imenso. Que falta ela fará”.


Vídeo: Pesquisadores querem quebrar protocolo para testar vacina (Dailymotion)

Repetir vídeo

Mais em Veja São Paulo

image beaconimage beaconimage beacon