Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Pandemia leva a queda brusca nas emissões mundiais de CO2

Logotipo do(a) Poder360 Poder360 6 dias atrás Deutsche Welle
Emissões mundiais de CO2 caem por causa da pandemia, mas efeito fugaz tem pouco impacto no aquecimento global © picture-alliance/AP/Imaginechina(DW) Emissões mundiais de CO2 caem por causa da pandemia, mas efeito fugaz tem pouco impacto no aquecimento global

As emissões mundiais de CO2 a partir de combustíveis fósseis deve ter queda de em torno de 7% em 2020 por causa da pandemia de coronavírus, mas mesmo essa forte queda – a maior desde a Segunda Guerra Mundial – terá pouco efeito sobre o aquecimento global, afirmaram cientistas na 3ª feira (19.mai).

No início de abril, as emissões mundiais haviam caído 17% em comparação com o mesmo período do ano anterior, afirma 1 estudo publicado no boletim científico Nature Climate Change.

Quatro regiões – China, Estados Unidos, União Europeia e Índia – responderam por 2/3 do recuo nos primeiros 4 meses de 2020, o equivalente a pouco mais de 1 bilhão de toneladas de CO2.

Os confinamentos levaram a uma mudança drástica no uso de energia e nas emissões de CO2“, disse a pesquisadora responsável pelo estudo, Corinne Le Quéré, da Universidade de East Anglia. “Mas essas quedas extremas deverão ser temporárias, pois não refletem mudanças estruturais nos sistemas econômico, de transportes ou de energia.

Se a economia mundial retornar aos níveis pré-pandemia em meados de junho – o que é improvável – as emissões de CO2 em 2020 deverão cair apenas 4%, calculou a equipe de Le Quéré. Se as restrições em vigor em vários países continuarem até o fim do ano, o declínio será de cerca de 7%.

Le Quéré acrescentou que tornar as mudanças mais duradouras depende de “iniciativas de estímulo econômico que ajudem a cumprir as metas climáticas, especialmente no que toca à mobilidade, que foi responsável por metade da redução das emissões durante o confinamento“.

A queda verificada durante a pandemia “terá pouca influência na contínuo acúmulo de CO2 na atmosfera“, afirmou o cientista Richard Betts, chefe de pesquisas sobre impacto climático no Centro Hadley de Mudanças Climáticas do Met Office, no Reino Unido.

Para evitar que a temperatura média do planeta suba mais de 1,5º C até 2100, como pretende o Acordo de Paris, seria necessário que as emissões caíssem 7,6% todos os anos, ao longo da atual década.

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube| WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Mais de Poder360

image beaconimage beaconimage beacon