Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Farmbeats e a missão de alimentar o mundo em 2050

Logotipo do(a) Microsoft Empresas Microsoft Empresas 24/08/2018 Thiago Zaiden (Virtual Soluções Internet LTDA)
Farmbeats e a alimentação do mundo em 2050 © Fornecido por Microsoft ICE Farmbeats e a alimentação do mundo em 2050

Sob desafios como o crescimento populacional, o projeto Farmbeats se propõe a utilizar da fronteira inteligente para modernizar a agricultura e erradicar a fome

Em 2050, a população mundial alcançará 9.7 bilhões de pessoas, segundo a ONU. Esse crescimento, dos atuais 7.6 bilhões, representa inúmeros desafios, mas um principal: a fome. Como alimentar quase uma dezena de bilhão de pessoas sendo que hoje uma em cada três sofrem de algum tipo de deficiência nutricional no mundo, enquanto cerca de 800 milhões estão subnutridos, de acordo com o WFP (World Food Programme)?

Alimentando todo o planeta

Estudos recentes indicam a necessidade de aumentar entre 25 a 70% a produção alimentar mundial para suprir a demanda de 2050. A estimativa vem com um alerta de que ainda não está claro o caminho a ser seguido para chegar lá, tampouco o impacto ambiental que esse aumento causará¹. Há ainda estudiosos que refutam a tese e afirmam que já temos capacidade para suprir o excedente populacional².  De qualquer forma, as ineficiências ficam claras: o mundo desperdiça o equivalente a 1 trilhão de dólares de comida por ano. Mais do que dinheiro, o desperdiço de água na produção desses alimentos não aproveitados é o equivalente ao que a África precisa desse recurso, assim como a emissão de gás carbônico no processo produtivo seria como se removessem todos os veículos das ruas no mundo. Os números que envolvem esse tema são grandiosos. Por trás deles, o impacto na vida das pessoas é o mais importante. Por isso, iniciativas para ganho de produtividade na agricultura e redução de impacto ambiental são tão louváveis. Com esse mote de ajudar o mundo nesse desafio de 2050, o time do Microsoft Research desenvolveu o Farmbeats, um projeto que une Internet das Coisas (IoT, da sigla em inglês) e Inteligência Artificial (AI, da sigla em inglês) para erradicar a fome no mundo.

Farmbeats: a união de IoT e AI na agricultura

O projeto Farmbeats objetiva habilitar decisões baseadas em dados nas fazendas. Apesar do uso de tecnologia agrícola ser bastante extenso, ainda é um setor que possui grandes desafios para maior adoção. Só no Brasil, por exemplo, 70% do que vai à mesa do brasileiro provém de agricultura familiar³. Esta dispõe de menos recursos para adoção de tecnologia. Dessa forma, o Farmbeats se destaca. Com o objetivo de mostrar ao fazendeiro uma visão em tempo real da sua fazenda, o projeto consiste em dispor diversos sensores pela extensão da plantação, que captam informações do solo, bem como micro condições climáticas, como a força do vento em cada porção específica da fazenda. Para conseguir conectar esses dispositivos entre si e processar esses dados, a equipe responsável pelo projeto precisou inovar mais uma vez. Áreas rurais possuem baixa conectividade com a internet, inclusive ausência de sinais telefônicos, portanto a equipe se apropriou dos espaços brancos de TV (TV White Spaces), um espectro não utilizado mais, porém disponível. Com isso, cria-se conexões na fazenda com o uso de roteadores nessa frequência, cuja extensão abrange toda a área a ser analisada. Resolvida a conexão, abrem-se inúmeras possibilidades de dispositivos, inclusive câmeras de vídeo a serem instaladas para visão em tempo real da área plantada. O projeto ainda foi além e se aliou ao uso de drones, para tomadas aéreas, muito úteis para traçar mapas de calor de como está a situação naquele momento. Assim, juntando os dados de sensores e imagens dos drones, há uma grande quantidade de informação valiosa para entender o cenário atual. O principal ganho vem a seguir, com o uso de AI, responsável por analisar as informações em conjunto e fornecer insights em tempo real para o fazendeiro sobre a sua própria plantação. Com o uso do Azure IoT Edge, o processamento dessas informações dispensa, inclusive, o uso de conexão com internet. Os dados podem ser processados localmente, na chamada fronteira inteligente, local onde o acesso direto à nuvem não é possível. Com algoritmos de Machine Learning já estabelecidos e que são capazes de manter a informação em tempo real e offline, os interessados continuam a ter visibilidade do que ocorre na fazenda. Como uma solução de baixo custo para uma agricultura voltada a dados e predições, o Farmbeats é mais uma solução capaz de ajudar o mundo a alcançar alimentação a todos, considerando o grande crescimento até 2050. Com o nível de informação fornecida, a agricultura será muito mais precisa. Saberá, por exemplo, a hora certa de colocar insumos, a depender da umidade do solo e considerando o impacto do vento no momento da distribuição. Inclusive para agropecuária, com o uso de câmeras que identificam animais e seus movimentos, podendo prever possíveis problemas e a hora certa de agir. Conheça mais sobre o Azure IoT Edge que habilitou o projeto Farmbeats e inicie gratuitamente sua jornada na fronteira inteligente. Fontes: ¹ https://news.psu.edu/story/452218/2017/02/22/widely-accepted-vision-agriculture-may-be-inaccurate-misleading ² https://www.theguardian.com/preparing-for-9-billion/2017/sep/13/population-feed-planet-2050-cold-chain-environment ³ http://www.mda.gov.br/sitemda/noticias/brasil-70-dos-alimentos-que-vão-à-mesa-dos-brasileiros-são-da-agricultura-familiar

Leia mais de Microsoft Empresas

image beaconimage beaconimage beacon