Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Autor do atropelamento na Times Square diz que “queria matar todos”

Logotipo do(a) EL PAÍS EL PAÍS 20/05/2017 Sandro Pozzi
A SEGUIR
A SEGUIR

A normalidade voltou à Times Square, em Nova York, apesar do reforço nas medidas de segurança, após o atropelamento coletivo ocorrido na quinta-feira. Promotores afirmaram que o condutor do veículo, Richard Rojas, declarou que “queria matar todas as pessoas” e que a polícia deveria ter atirado nele quando saiu do carro. Rojas, que estava sob o efeito de drogas no momento do incidente, se encontra preso.

Os primeiros vídeos do incidente mostram como seu Honda avança na contramão subindo pela calçada, em alta velocidade. A tragédia poderia ter sido maior se não fossem as grades de metal que protegem as áreas de pedestres e que evitaram que o carro atingisse um grupo que passava por ali. Rojas, morador do Bronx, foi acusado por assassinato e tentativa de homicídio.

O atropelamento provocou a morte de uma jovem de 18 anos, que estava em Nova York fazendo turismo com sua família, e deixou mais 22 feridos. Testemunhas afirmaram que Rojas tinha clara intenção de causar danos. O prefeito Bill de Blasio insiste que não está clara a motivação do suspeito, enquanto a polícia acrescenta que não encontrou no veículo nada fora do normal após sua inspeção.

Imagens do atropelamento na Times Square (Nova York). © Fornecido por El País Imagens do atropelamento na Times Square (Nova York).

As autoridades evitam especificar a substância química que foi detectada no sangue desse veterano da Marinha norte-americana, à espera do resultado definitivo, que sai dentro de alguns dias. Vizinhos de Rojas disseram que ele sofria de problemas mentais. Há uma semana foi preso por ameaçar um notário com uma faca. Sua ficha também apresenta casos de detenção por conduzir embriagado ou sob o efeito de drogas.

Desde o incidente, a polícia colocou mais barreiras de concreto nas calçadas do Times Square para dar maior proteção aos transeuntes. O incidente volta a colocar em evidência os problemas de saúde mental sofridos por militares veteranos. Amigos de Rojas negaram que ele seja um terrorista. O jovem vivia com sua mãe. A próxima audiência está prevista para 24 de maio.

Mais de El País

image beaconimage beaconimage beacon