Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Forte terremoto de magnitude 8,4 atinge sul do México, causa mortes e provoca alerta de tsunami

Logotipo do(a) BBC Brasil BBC Brasil 08/09/2017
Tremor danificou edifícios em Oaxaca © EPA/MARIO ARTURO MARTINEZ Tremor danificou edifícios em Oaxaca

Um forte terremoto, de magnitude 8,4 foi registrado na madrugada desta sexta-feira na costa do sul do México, provocando danos e levando a um alerta de um possível tsunami.

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, afirmou que 50 milhões de mexicanos sentiram o tremor. Segundo Peña Nieto, foi o mais forte terremoto registrado no país nos últimos 100 anos e são esperados mais tremores secundários.

Superou o de 1985, tremor de magnitude 8,1 com o epicentro próximo à Cidade do México que causou milhare de mortes.

Ao menos 7 pessoas morreram, mas o número pode aumentar conforme as informações forem levantadas em áreas remotas atingidas pelo tremor.

Inicialmente, o serviço sismológico nacional do México informou que o terremoto teve magnitude de 8,4 e que o epicentro do tremor foi registrado às 23h49 de quinta-feira locais (01h49 de sexta em Brasília) a 137 km a sudoeste da cidade de Tonala, no Estado de Chiapas, a uma profundidade de 19 quilômetros.

Horas depois, as informações da agência mexicana foram revisadas, indicando magnitude de 8,2 e profundidade de 58 km.

Já a agência geológica americana (USGS) registrou o tremor com magnitude 8,1 e profundidade de 70 km.

O tremor foi sentido também na capital do país, Cidade do México, a mais de 900 quilômetros de distância do epicentro.

Segundo relatos locais, os tremores duraram cerca de um minuto.

Duas mortes foram registradas inicialmente em Chiapas. Uma terceira morte foi relatada na vizinha Guatemala.

Um alerta de tsunami foi feito para México, Guatemala, El Salvador, Costa Rica, Nicarágua, Panamá e Honduras.

Apesar de haver do risco de tsunami em sete países na América Central, Peña Nieto afimou que, no caso do México, "não é uma grande preocupação".

"O risco de tsunami na costa de Chiapas não representa um risco maior", disse o presidente à TV mexica, segundo a agência Reuters.

Ele afirmou ainda que mais tremores secundários são possíveis e que as pessoas devem verificar se suas casas e escritórios foram danificadas e se há vazamento de gás.

"Estamos em alerta", afirmou o Peña Neto.

Mais de BBC Brasil

image beaconimage beaconimage beacon