Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Garota afegã imortalizada por revista é presa no Paquistão

Logotipo do(a) VEJA.com VEJA.com 26/10/2016 Diego Braga Norte
1985-the-afghan-girl-national-geographic © image/jpeg 1985-the-afghan-girl-national-geographic

A polícia do Paquistão prendeu nesta quarta-feira, em Peshawar, no nordeste do país, Sharbat Gula, refugiada afegã de olhos verdes imortalizada em uma capa da revista National Geographic em 1985. Protagonista de uma das fotos mais célebres da história, ela é acusada de falsificar o documento de identidade paquistanês.

Gula já era investigada desde 2015, quando autoridades descobriram que ela vivia no país usando documentos falsos com o nome de Sharbat Bibi. No entanto, por ser afegã, a refugiada não teria permissão para portar o cartão de identidade do Paquistão. Para isso, ela teria burlado o sistema informatizado do país. Gula foi retratada pelo fotógrafo Steve McCurry em 1984, quando tinha acabado de chegar ao campo de refugiados de Peshawar, fugindo da guerra soviética no Afeganistão.

Leia também

Homem pula de ponte nos EUA com dois filhos no colo

Milionário russo do Instagram se revela uma fraude

Na época, ela tinha apenas 12 anos, e a foto estampou a capa da National Geographic em junho de 1985. Seu olhar intenso voltado à câmera fez com que ela fosse chamada de “Mona Lisa do Terceiro Mundo”.

Depois de 17 anos, em 2002, McCurry reencontrou Gula vivendo no campo de refugiados de Nasir Bagh, também no Paquistão, e a fotografou novamente. O retrato foi publicado na mesma revista e a mostra com os olhos magnéticos que a tornaram famosa no mundo inteiro.

Sharbat Gula em 1984 e em 2002 (National Geographic/VEJA.com)

(Com ANSA)

Sharbat Gula em 1984 e em 2002 Garota afegã imortalizada por revista é presa no Paquistão

Mais de Veja.com

image beaconimage beaconimage beacon