Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Trump prorroga pela 'última vez' suspensão de sanções ao Irã

Logotipo do(a) RFI RFI 12/01/2018 RFI

O presidente americano, Donald Trump, prorrogará a suspensão das sanções econômicas contra o Irã no âmbito do acordo nuclear, mas pela ...

Nos próximos 120 dias, quando será novamente renovada a retirada das sanções, Trump tentará "trabalhar com nossos parceiros europeus em uma determinação" que possa endurecer as condições do acordo firmado em 2015 entre Teerã e as grandes potências (China, Rússia, França, Alemanha e Reino Unido), declarou à imprensa um funcionário de alto escalão do governo.

Quando anunciou o adiamento da decisão, o Tesouro americano também impôs sanções a 14 pessoas e empresas iranianas, inclusive o líder do Judiciário do país, Sadegh Amoli Larijani.

"Em seu pronunciamento, o presidente deixa claro que é a última vez que ele vai fazer esse adiamento", disse o oficial da Casa Branca.

Novo arranjo

®Reuters © Fournis par France Médias Monde ®Reuters

O funcionário indicou que Trump agora quer trabalhar com os aliados europeus dos Estados Unidos, que pediram para ele se manter no acordo para desenvolver um novo tratado que substitua o atual.

Teerã não se envolveria nessas discussões, como aconteceu em 2015, mas seria alvo de sanções americanas e europeias, se não cumprisse os termos do novo arranjo.

O novo tratado seria voltado para o programa de mísseis do Irã, e não apenas para a indústria nuclear, exigindo inspeções da ONU no país.

"Se o presidente conseguir um acordo que alcance seu objetivo e ele nunca expirar, ele vai tirar do Irã qualquer caminho para as armas nucleares, não somente por dez anos. Ele estaria aberto a ficar em um acordo modificado dessa forma”, disse o funcionário.

Nesta sexta, Trump pediu aos países europeus que ajudem a superar as "falhas desastrosas" do acordo nuclear internacional com o Irã.

"Ainda não retirei os Estados Unidos do acordo nuclear com o Irã", apontou o presidente, em um comunicado. "Em troca, delineei alguns caminhos. Ou se corrigem essas falhas graves, ou os Estados Unidos vão se retirar do tratado", prometeu.


Siga o MSN no Facebook

MAIS DE RFI

image beaconimage beaconimage beacon