Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Bolsonaro minimiza Planalto militarizado e diz não ter ‘nada contra civis’

Logotipo do(a) Poder360 Poder360 3 dias atrás Nathan Victor
Bolsonaro em live nesta 5ª feira. Presidente fez transmissão de apenas 20 minutos e manifestou desejo de encontrar o presidente da Argentina, Alberto Fernández © reprodução/Facebook -Jair Bolsaro Bolsonaro em live nesta 5ª feira. Presidente fez transmissão de apenas 20 minutos e manifestou desejo de encontrar o presidente da Argentina, Alberto Fernández

O presidente Jair Bolsonaro saiu em defesa do ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) após o ex-juiz ter sido pivô de bate-boca com deputados do Psol em sessão realizada na 4ª feira (12.fev.2020), na Câmara.

Na ocasião, depois de o deputado Glauber Braga (Psol-RJ) afirmar que Moro era 1 “capanga da milícia”, o ministro reagiu e chamou o congressista de “desqualificado”.

Em sua convencional transmissão ao vivo nas redes sociais nesta 5ª feira (13.fev), Bolsonaro leu uma mensagem publicada por Moro no Twitter, na qual o ministro dizia “não gostar de jogo político”, e que propôs várias medidas contra o crime organizado, mas “o Psol, de Freixo/Glauber, foi contra todas elas”. Segundo Bolsonaro, com isso, o partido defende as milícias.

O presidente também comentou rapidamente a minirreforma ministerial que terminou em mudanças na Casa Civil e no Ministério da Cidadania. Limitou-se a dizer que Onyx Lorenzoni, agora titular da Cidadania, “tem 1 grande desafio pela frente”. Sobre o general Braga Netto, novo ministro-chefe da Casa Civil, o mandatário enalteceu seu trabalho junto à segurança pública do Rio de Janeiro à época da intervenção federal na segurança pública do Estado.

O presidente disse que Braga Netto terá a missão de coordenar os ministros, buscar soluções, e antecipar-se a possíveis problemas.

Mais cedo, em outra live com estudantes de Direito que visitavam o Palácio do Planalto, Bolsonaro brincou com o fato de todos os 4 ministros que despacham na sede do Poder Executivo serem generais.

“Estou de consciência tranquila, fazendo a minha parte, trocamos hoje 2 ministros, né, ficou completamente militarizado o meu 3º andar. São 4 generais ministros agora. Nada contra os civis, tenho ministros civis excepcionais, o Sergio Moro… O Tarcísio, é civil ou militar? é militar? Ele fez academia.. Tem o André Mendonça, pastor Mendonça”, disse o presidente.

Na transmissão, Bolsonaro reafirmou que irá à posse do presidente eleito do Uruguai, Luis Lacalle Pou, em 1º de março, e que vai tentar se encontrar com o presidente da Argentina, Alberto Fernández.

Nesta 5ª feira, no entanto, Fernández declarou que precisará cancelar a viagem ao Uruguai. O peronista disse que terá 1 compromisso no Congresso argentino no dia da viagem.

Eis a live feita pelo presidente nesta 5ª feira:

Outros assuntos

Encontro com Felipe Solá, chanceler argentino

“Foi 1 encontro cordial, teve muitos momentos de descontração. Ele falou dos problemas econômicos da Argentina. Está buscando o apoio do FMI (Fundo Monetário Internacional) e, no Brasil, o que a nossa equipe econômica puder ajudar a eles, vai ajudar. Afinal de contas, a Argentina é o nosso maior parceiro comercial da América do Sul.

Nos interessa que a Argentina seja forte. E, obviamente, defendendo a liberdade e a democracia. Fechei o compromisso com ele [Solá]. Dia 1º de março estarei com ele na posse do presidente do Uruguai e vamos separar 1 tempo para conversar com o presidente Alberto Fernández”.

Repatriação de brasileiros

O presidente agradeceu à hospitalidade da China e dos países que autorizaram a missão da FAB (Força Aérea Brasileira) na repatriação dos brasileiros que, agora, seguem em quarentena. Bolsonaro disse que pretende visitar a Polônia, 1 dos países que autorizaram o pouso do avião para reabastecimento, ainda no 1º semestre deste ano, para estreitar os laços entre os 2 países.

Conselho da Amazônia

O presidente destacou que o Conselho visa proteger, preservar, e desenvolver a Amazônia contra qualquer ação que não esteja de acordo com as leis brasileiras. Pontuou que à frente do órgão estará o vice-presidente, Hamilton Mourão, “que está mais do que capacitado“. “A Amazônia é nossa. Não é como ontem o papa twitou não. Nós queremos preservá-la“.

MP das carteirinhas

O presidente lamentou o vencimento da medida provisória assinada pelo governo que criava a chamada ID Estudantil. O documento, cuja criação foi percebida como meio para desidratar a UNE (União Nacional dos Estudantes), dá acesso à meia-entrada em eventos culturais e esportivos.

“Pelo que tudo indica, a nossa MP vai caducar. A UNE está vibrando. A nossa intenção não é persegui-los. Muito pelo contrário. Queremos facilitar a vida do estudante. Lamentavelmente, o PC do B e a UNE, que eu não sei que força que eles têm no Parlamento, conseguiram fazer caducar a medida”.

Novo embaixador do Brasil nos EUA

Jair Bolsonaro parabenizou o Senado Federal pela aprovação de Nestor Forster como embaixador do Brasil nos Estados Unidos. “Já o conheço de algumas passagens nos Estados Unidos e aqui no Brasil. Estaremos muito bem representados frente a maior nação do mundo”.

Agenda

O chefe do Poder Executivo enalteceu o trabalho das Forças Armadas no asfaltamento de rodovias, e disse que irá nesta 6ª feira (14.fev) à inauguração da obra de pavimentação dos últimos 51 quilômetros da BR-163 que faltavam para ligar, definitivamente, o estado do Mato Grosso aos portos de Miritituba, no Pará.

No sábado (15.fev), declarou que vai ao Rio de Janeiro na inauguração da obra em alça de acesso que passa pela ponte Rio Niterói e que, segundo ele, “irá desafogar o trânsito”. Também vai encontrar o pastor R.R Soares no Aterro do Flamengo, onde deve participar do evento evangélico Show da Fé.

_______________________________

Vídeo: Chinatown londrina sofre efeitos do COVID-19 (AFP)

A SEGUIR
A SEGUIR

Mais de Poder360

image beaconimage beaconimage beacon