Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

“Eduardo quer derrubar Bolsonaro para concorrer em 22”, diz Janaina Paschoal

Logotipo do(a) IstoÉ IstoÉ 30/06/2020 Da Redação
© José Antonio Teixeira/Alesp

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) disse acreditar que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) quer derrubar o pai, o presidente Jair Bolsonaro, para poder se candidatar ao cargo dele em 2022.

“Passa na minha cabeça, e é louco, sei que é, que Eduardo quer derrubar o pai para poder se apresentar como alternativa em 22, com o discurso do golpe”, afirmou a parlamentar em entrevista à revista Marie Claire.

Segundo a deputada, Eduardo tem influência sobre os principais apoiadores de Bolsonaro e líderes internacionais. “O Eduardo tem muita influência sobre o [deputado estadual] Gil Diniz, sobre o [deputado estadual] Douglas Garcia. Sobre o Edson Salomão, que é chefe de gabinete do Douglas. Sobre a Carla Zambelli. Ele tem uma liderança sobre eles. Foi para o exterior, visitou líderes. Tudo isso me parece mais uma dinâmica que atende a Eduardo do que ao pai”, disse Janaina .

A parlamentar ressaltou que Eduardo não pode concorrer ao cargo de presidente em 2022 caso o pai continue na Presidência até o fim do mandato. “Pense: o discurso do golpe é um baita discurso para o PT. Esse discurso também está sendo usado pelos bolsonaristas desde o início do governo. É um discurso que tende a uma candidatura em 22 que vai se mostrar como golpeada também. Um drama”, explicou .

“Será que esse menino não está ajudando nesse processo de derrubada do pai?”, questionou Janaína. Para ela, Eduardo pode usar a narrativa do golpe para aparecer “mais jovem, mais forte, numa versão atualizada do pai destruído pelo golpe”.

Questionada se ainda defende que Bolsonaro renuncie, Janaina respondeu: “Eu vou dizer o que?! É muita loucura, muita confusão. Como o povo vai aguentar isso por mais dois anos? Como o povo vai aguentar isso no meio de uma pandemia e, depois, com as sequelas dela?”, questionou.

Mais de IstoÉ

image beaconimage beaconimage beacon