Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Principais notícias

Irmã de Aécio fica em silêncio durante depoimento na Polícia Federal

Logotipo do(a) VEJA.com VEJA.com 4 dias atrás Da Redação
Andrea, irmã do deputado Aécio Neves (PSDB-MG), que esteve na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte © Douglas Magno/O Tempo/Folhapress Andrea, irmã do deputado Aécio Neves (PSDB-MG), que esteve na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte

Andrea Neves, irmã do deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG), ficou calada durante os cerca de 50 minutos em que esteve na tarde desta terça-feira, 11, na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte, para prestar depoimento dentro das investigações da Operação Escobar.

A ação foi deflagrada na última quarta-feira, 5, contra um esquema de corrupção ativa e passiva, organização criminosa, obstrução da Justiça e violação de sigilo funcional.

Dois escrivães da PF e dois advogados foram presos na operação. Segundo a investigação, Andrea seria uma das beneficiárias do esquema, que teria acesso irregular a informações sobre operações realizadas pela corporação.

A intenção da PF era saber por que documentos sigilosos, de acesso restrito a agentes da federais, foram encontrados na casa da irmã de Aécio Neves em dezembro de 2018, durante a primeira fase da Operação Ross, que investiga suposto envolvimento do agora deputado com o grupo JBS.

Entre os documentos estavam informações referentes à Operação Capitu, de novembro do ano passado, quando foram presos o empresário Joesley Batista, do JBS, e o então vice-governador de Minas Antonio Andrade. A operação investiga supostas irregularidades no Ministério da Agricultura e Pecuária, que teve Andrade como titular.

Segundo fontes que acompanham as investigações, Andrea não quis responder à nenhuma das perguntas feitas pelos responsáveis pelo processo. A irmã de Aécio evitou a imprensa tanto na chegada quanto na saída da sede da PF.

A jornalista foi presa preventivamente em maio de 2017 na Operação Patmos, lastreada em delações premiadas da JBS, por suspeita dos crimes de corrupção, organização criminosa e embaraço às investigações da Lava Jato.

(Com Estadão Conteúdo)

Vídeo: The Intercept: diretor explica a polêmica investigação (AFP)

A SEGUIR
A SEGUIR

Quer receber as principais notícias do MSN Brasil pelo Facebook Messenger?
Inscreva-se agora.


Mais de Veja.com

image beaconimage beaconimage beacon